conecte-se conosco

Agronegócio & Produção

Momento Agrícola: Leilão BRF, conjuntura do milho, peixes de cultivo e entrevistas são destaque

Publicado

A edição deste sábado (24) do Momento Agrícola traz novidades e comentários sobre o agronegócio em Mato Grosso e no Brasil.

De autoria do produtor rural, agrônomo e consultor Ricardo Arioli, o programa é veiculado aos sábados pela Rede de Rádios do Agro e repercutido em forma de notícias e com o link do Soundcloud pelo Enfoque Business, também aos finais de semana.

Leilão BRF

Foto: Reuters

No próximo dia 11 de agosto, a Lance já! – organização especializada na recolocação de bens móveis e imóveis no mercado – leiloará nos modelos online e presencial (e de forma extrajudicial) 40 lotes pertencentes à BRF, multinacional brasileira do ramo alimentício.

A participação dos interessados pode ser online, pelo site www.lanceja.com.br.

Os lotes referem-se a terrenos com e sem benfeitoria distribuídos em 12 cidades, incluindo dois imóveis em Mato Grosso e uma fábrica de ração desativada em Porto Alegre (RS).

Em Mato Grosso, os lotes estão localizados nos municípios de Nova Mutum e Ipiranga do Norte. Em Nova Mutum, o lote consiste em imóvel terreno rural de 10 hectares, na margem da Estrada P3. Já em Ipiranga do Norte, o lote corresponde a uma gleba de terra (terreno rural de 9,5 hectares), ponto de referência Fazenda Rio Branco, na Rodovia MT 010, Km 100.

Leia mais:  Nuvem de gafanhotos: governo federal declara emergência fitossanitária pelo prazo de um ano

Os demais lotes estão localizados em Serafina Corrêa (RS), Piratini (RS), Marau (RS), Videira (SC), Indaial (SC), Concórdia (SC), Carambeí (PR), Paranaguá (PR) e Nazaré Paulista (SP).

Novas perdas de milho

Nessa semana houve novos registros de geadas nos estados do sul do Brasil e mais lavouras de milho foram afetadas.

Nesse contexto negativo da produção de milho, Ricardo Arioli destaca questões importantes, como a comercialização e a defesa contra quebras e a volatilidade de mercado.

Outro aspecto lembrado no Momento Agrícola é o seguro rural multirrisco, que parece caro em anos normais, mas que mostra seu valor em anos de perdas, como vem ocorrendo nesta safra.

Peixes de cultivo

O Ministério da Economia informou, com dados elaborados Embrapa Pesca e Aquicultura, que as exportações brasileiras de peixes de cultivo cresceram 158% em junho em comparação ao mesmo mês do ano passado. Considerando o segundo trimestre (abril a junho), o avanço nas vendas internacionais foi de 83% em relação a igual período de 2020 e de 22% frente ao trimestre anterior.

Leia mais:  Momento Agrícola: Sensacionalismo e inverdades, política, mercado e entrevistas são os destaques

O faturamento nesse período atingiu US$ 3,9 milhões. O Paraná superou Mato Grosso do Sul e assumiu a liderança nas exportações de tilápia. Santa Catarina vem em terceiro lugar e a Bahia em quarto. Entre os clientes da tilápia brasileira, os Estados Unidos lideram, seguido por China e Chile.

Outras

O Momento Agrícola também traz outras abordagens interessantes, como as entrevistas. Os temas abordados são “A polêmica das ferrovias de Mato Grosso”, com Edeon Vaz Ferreira, “O Carbono na União Europeia”, com o Adido Agrícola Guilherme Costa e “O uso do herbicida Dicamba nos Estados Unidos”, com Dr. Rodrigo Werle.

Para ouvir o Momento Agrícola na íntegra, clique abaixo:

publicidade

Agronegócio & Produção

Momento Agrícola: Impacto no feijão, custos do milho, seguro e entrevistas são destaques

Publicado

O impacto da estiagem e das geadas na produção de feijão, o aumento dos custos na produção do milho, o potássio pela braquiária, proteção contra as quedas nos preços, novidades no FCO e os combustíveis.

Estes são os principais destaques do Momento Agrícola deste sábado (18). De autoria do produtor rural, agrônomo e consultor Ricardo Aioli, o programa é veiculado aos sábados pela Rede de Rádios do Agro e repercutido em forma de notícias e com o link do Soundcloud pelo Enfoque Business (ao final do texto), também aos finais de semana.

Feijão

O Momento Agrícola começa a edição deste sábado (18) expondo uma realidade que certamente irá refletir no bolso do consumidor.

O estado de São Paulo registrou sua pior estiagem em 91 anos, com a redução de área indicando a menor produção da década. E, com a estiagem vieram as geadas. Combinadas, estas duas condições climáticas fizerem com que praticamente todo feijão ou foi plantado ou replantado após as geadas de julho e junho.

Produção reduzida deverá se refletir no preço final ao consumidor, evidentemente com altas.

As informações são do Ibrafe (Instituto Brasileiro de Feijões e Pulses), acrescentando que, se o mercado atual está calmo, com menor volume de negócios, o “cenário que está se formando no horizonte agita o setor”. Assim, a produção reduzida deverá se refletir no preço final ao consumidor, evidentemente com altas.

Leia mais:  Momento Agrícola: A década das ferrovias, fogo na seca, safra na Índia e máxima produtividade estão entre os destaques

A entidade explica que o polo de produção de São Paulo agora no segundo semestre é o sudoeste do estado: “A situação de preços comparativos de soja com feijão levou novamente à redução de área daquela região. No ano passado, estima-se que foi plantado ao redor de no máximo 30 mil ha. A área que menos diminuiu foi da Holambra, onde no ano passado foi plantado ao redor de 18.000 ha e este ano pode ter reduzido cerca de 10%”, consta em relatório do instituto.

Milho

Analistas apontam que os custos da produção de milho no Brasil subiram mais que os preços. Mesmo neste cenário atual, ressaltam os especialistas, a lucratividade ainda é boa e é isso o que realmente importa.

De acordo com os analistas de mercado, o momento de maior lucratividade da safra 2020/21 já passou – foi no mês de novembro de 2020. Isso é o que se pode constatar da análise dos gráficos de acompanhamento que os técnicos de empresas especializadas fazem da relação entre os custos de produção e os preços de mercado pelos últimos 12 meses.

Leia mais:  Momento Agrícola: Funrural, aquecimento global, desafio de produtividade e PSA foram destaques na semana

Há, ainda, cenários internacionais que afetam os custos do grão, conforme abordado por Ricardo Arioli no primeiro bloco do programa.

Seguro de queda

Diante de todas estas oscilações e eventos do mercado, o produtor precisa se precaver. “Talvez seja a hora de pensar em se proteger de eventuais quedas dos preços do milho da safra 2022 com as ferramentas disponíveis nas bolsas de mercadorias”, observa Ricardo Arioli.

Ele se refere a uma opção importante, que permite contratar um preço mínimo e seguir participando das altas do mercado. Trata-se do seguro de queda. “Como todo seguro, há custo. Chame seu corretor e faça as contas para ver se vale a pena”, sugere.

Outras

Há várias outras abordagens no Momento Agrícola desse final de semana, todas de alta relevância para o produtor rural. Uma delas diz respeito ao potássio inserido no solo pela braquiária, segundo explica Arioli, ainda no primeiro bloco do programa.

E há as entrevistas, no terceiro e no quarto blocos. Com Seneri Paludo, Arioli discorre sobre as ‘Novidades do FCO’, no terceiro bloco. Na sequência, a atração é o tema “O Que Vem por Aí nos Combustíveis”, com Décio Gazzoni, da Embrapa.

Para ouvir o Momento Agrícola na íntegra, clique abaixo:

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana