conecte-se conosco


Cidades & Geral

Memorial celebra legado de Olacyr de Moraes para o desenvolvimento da região

Publicado

Foi inaugurado na tarde de ontem (sexta, 02), em Tangará da Serra, o ‘Memorial Olacyr Francisco de Moraes’, em homenagem ao empresário que impulsionou o desenvolvimento da região com vários empreendimentos em diversos setores. (Veja vídeo ao final do texto)

Empresário deixou legado de desenvolvimento na região de Tangará da Serra-MT. (Foto:EBC)

Localizado no canteiro central da avenida Lions Internacional, cruzamento com a Ismael José do Nascimento, o memorial é resultado de uma parceria entre o município de Tangará da Serra e o setor empresarial, através da UISA Bioenergia + Açúcar, e os empresários Carlos Alberto Senarezi, Herinaldo Menezes Costa e Odécio Luiz Sartoretto (diretores da Calcário Tangará), e Alfredo Acácio Nuernberg, da TratorTecMaq.

Scolari: “Uma homenagem justa a um personagem do empreendedorismo que alavancou esta região”.

O ato inaugural contou com pequeno público, em razão da pandemia. O vice-prefeito de Tangará da Serra, Marcos Scolari, representou o Executivo local, enquanto o presidente da Câmara de Vereadores, Fábio Brito, e o colega Edmílson Porfírio representaram o Legislativo.

Também estiveram presentes o prefeito de Nova Olímpia, José Elpídio de Moraes Cavalcante, e o vice-prefeito do município vizinho, Rimer Oliveira.

Pelo setor privado, estiveram presentes os empresários Rubens Jolando, que representou os diretores da Calcário Tangará, e Alfredo Acácio Nuernberg; o engenheiro ambiental Caetano Henrique Grossi, pela UISA Bioenergia+Açúcar; e o presidente do Sicredi Sudoeste MT/PA, Antônio Geraldo Wrobel. O Sindicato Rural de Tangará da Serra foi representado pelo membro da diretoria da entidade, Eduardo Germano.

Jolando: Ele gostava das pessoas, dos seus colaboradores e dava oportunidades. Queria ver a região se desenvolver”.

Segundo os empresários patrocinadores, o memorial é uma forma de celebrar Olacyr de Moraes na condição de agente fundamental para a consolidação da região de Tangará da Serra como polo produtivo e de desenvolvimento em Mato Grosso. “Doutor Olacyr não foi somente um grande empreendedor. Ele gostava das pessoas, dos seus colaboradores e dava oportunidades. Queria ver a região se desenvolver e, também, promovia ações sociais”, disse Rubens Jolando, relembrando um episódio há duas décadas em que Olacyr cedeu um valorizado imóvel arrematado em leilão, localizado no centro de Cuiabá, a uma entidade esportiva que se encontrava em situação falimentar.

Leia mais:  Barra do Bugres: 50 unidades do Minha Casa Minha Vida estão abandonadas há 6 anos

Alfredo Nuernberg, por sua vez, afirmou que Olacyr Francisco de Moraes deixou um legado que vai muito além do desenvolvimento que proporcionou à região. “Ele nos deixou um aprendizado de coragem e determinação, de enfrentamento das dificuldades e desafios que o empreendedorismo nos impõe”, colocou.

Alfredo: “Olacyr de Moraes nos deixou um aprendizado de coragem e determinação, de enfrentamento das dificuldades”.

Já o prefeito de Nova Olímpia, José Elpídio, relembrou os tempos em que trabalhou com Olacyr. “Era determinado e quando tomava uma decisão não voltava atrás, pois já tinha avaliado cada detalhe. Apendi muito com ele. Nova Olímpia, assim como toda a região, devem muito a ele”, disse o gestor.

O vice-prefeito de Tangará da Serra, Marcos Scolari, parabenizou a inciativa dos empresários em celebrar a memória de Olacyr de Moraes. “Uma homenagem justa a um personagem do empreendedorismo que alavancou esta região, abrindo caminho para o seu desenvolvimento”, considerou.

Memorial

O memorial a Olacyr de Moraes consiste em uma estátua em metal, em tamanho natural, sobre um pedestal de alvenaria. A placa tem uma mensagem em que relembra a história frase “Veni, vidi, vici” (Vim, vi, venci), do imperador romano Júlio César, que enviou uma carta ao Senado Romano, em 47 a.C, descrevendo a sua vitória sobre Fárnaces II, rei do Ponto, durante a Batalha de Zela:

“Veni, vidi, vici – Esta frase celebrada na História atesta que o desenvolvimento só é possível com a perseverança dos grandes empreendedores. Olacyr Francisco de Moraes (01/04/1931 – 16/05/2015) fez brotar riqueza no cerrado brasileiro com a soja, o algodão, a cana-de-açúcar e a energia elétrica. Veio, viu e venceu. Esta terra lhe tem eterna gratidão!”.

José Elpídio: “Nova Olímpia, assim como toda a região, deve muito a ele”.

Legado

Leia mais:  Tangará da Serra: Usuários apontam riscos e pedem manutenção e conservação do anel viário

Olacyr Francisco Moraes nasceu em Itápolis no dia 1º de abril de 1931 e faleceu em São Paulo em 16 de junho de 2015, aos 84 anos. Célebre pioneiro e empreendedor, promoveu o desenvolvimento na região investindo nas culturas da soja, da cana-de-açúcar e do algodão, na geração de energia elétrica e na extração de calcário.

Seu legado reuniu, entre outros empreendimentos, a antiga Usinas Itamarati (hoje ‘Uisa Bioenergia), no vizinho município de Nova Olímpia, e a empreiteira Constran, que construiu as hidrelétricas de Juba I e II.

No agronegócio, abriu uma nova fronteira no ano de 1973 – quando começou a formar as fazendas Itamarati 1 e 2. Na sequência, fundou a Calcário Tangará.

Liderou mais de 10 mil pesquisas e cruzamentos genéticos até chegar ao algodão Ita-90, variedade que converteu o Brasil em importador a grande exportador do produto.

Pelo Brasil afora, investiu em logística de transportes e liderou grandes obras de infraestrutura, sendo um dos mais importantes e celebrados empresários brasileiros, reconhecido como um dos esteios do desenvolvimento do país.

publicidade

Cidades & Geral

Brasnorte: Ação na Justiça requer devolução de área e indenização de R$ 10 milhões da JBS

Publicado

O não cumprimento de um acordo entre uma indústria frigorífica e o município de Brasnorte (600 km de Cuiabá) está resultando numa batalha judicial. O município de Brasnorte entrou com uma ação contra a JBS para revogação de doação com pedido de reversão do imóvel.

O motivo seria o não cumprimento de atividade econômica de um frigorífico instalado pela empresa, que estaria operando com apenas 10% da capacidade, frustrando as expectativas do município de fomento à economia quando da doação da área.

Segundo o prefeito de Brasnorte, Edelo Marcelo Ferrari, a verdadeira intenção do pedido é que o frigorífico cumpra sua finalidade.

A ação inclui, ainda, multa de R$ 500 mil reais e R$ 10 milhões em indenizações por danos morais.

Segundo o prefeito de Brasnorte, Edelo Marcelo Ferrari (DEM), a verdadeira intenção do pedido é que o frigorífico cumpra sua finalidade, que é de realizar os abates previstos, gerar emprego e trazer renda para o município. “Nós também temos muito dinheiro investido naquela área, tendo em vista que o município fez toda a terraplanagem além da doação do terreno. Então, mais do que justo seria funcionar e isso não está acontecendo”, explica Ferrari.

Leia mais:  Auxílio Emergencial: Ministério cobra devolução de quem recebeu indevidamente

Desapontamento

Para o presidente do Sindicato Rural de Brasnorte, Cleber José dos Santos Silva, a classe produtora está muito desapontada com a subutilização da planta instalada no município e concorda com a ação imposta pela prefeitura para o cumprimento do TAC. “Hoje nós temos uma pecuária maior e mais forte, fartura de pasto – com a integração de agricultura e pecuária, temos mais de 400 mil cabeças de gado e condições para instalar grandes frigoríficos e confinamentos porque temos uma abundância de grãos dentro do nosso município. Então nós cobramos que haja a responsabilidade do frigorífico de cumprir com este compromisso que ele tem com nosso município ou então deixar a oportunidade para que outras empresas possam explorar o potencial que temos aqui em Brasnorte”, esclareceu Cleber.

(Fonte: Agronews; foto: prefeitura de Brasnorte)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana