conecte-se conosco

Empresas & Produtos

Instalação de indústria de celulose poderá ser marco inicial para uma nova vocação econômica no MT

Publicado

As florestas plantadas com eucalipto e outras espécies podem resultar em uma nova vocação econômica no estado de Mato Grosso. Este é um horizonte que se abre com um empreendimento industrial que será instalado na região sudeste do estado.

Na última sexta-feira, a primeira indústria de celulose de Mato Grosso recebeu a licença de instalação para iniciar as obras do empreendimento em Alto Araguaia (a 361 km de Cuiabá). O documento emitido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente foi entregue pelo governador Mauro Mendes e pela gestora do órgão ambiental, Mauren Lazzaretti, aos diretores da Euca Energy. (Veja vídeo sobre o empreendimento ao final do texto)

“Com a chegada desta indústria, Mato Grosso ganha dois mil empregos e a possibilidade da transformação da matriz econômica da região Sul. Além dos empregos diretos, nós teremos lá milhares de outros empregos e indústrias e serviços agregados a esta nova atividade econômica”, comemorou o governador Mauro Mendes.

A Licença de Instalação (LI) tem validade até 2025 e é a segunda etapa do processo de licenciamento, que segue agora para a terceira fase, quando será obtida a licença que permite que a indústria entre em operação.

Governador Mauro Mendes entrega licença aos empreendedores: Validade até 2025, sendo a segunda etapa do processo de licenciamento.

“Nós estamos trabalhando muito fortemente desde o início da gestão para compatibilizar o tempo de resposta da Sema (…). Este empreendimento foi licenciado cumprindo todos os prazos legais e ritos e, principalmente, os itens que precisam ser observados para a qualidade ambiental”, enfatizou a Secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.

Leia mais:  Governo federal soma 10,8 mil ventiladores pulmonares adquiridos da indústria nacional

“É importante deixar claro que a essa licença foi emitida rapidamente pelos padrões brasileiros, mas sem nenhum tipo de precarização. Todas as exigências legais foram cumpridas e vale lembrar que o Brasil tem uma das legislações mais rigorosas do mundo e por estarmos na Amazônia Legal, o rigor é maior ainda”, complementou o presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso, Gustavo Oliveira.

Conduzido por uma equipe multidisciplinar da Secretaria, o processo para a emissão da licença trouxe condicionantes para mitigação dos impactos ambientais como, por exemplo, a adoção de sistemas que reduzam o uso de componentes químicos (cloro) no branqueamento da celulose. Além disso, o empreendedor também deve cumprir com medidas já previstas na legislação, como realizar a captação de água abaixo do lançamento da indústria, garantindo que o tratamento dos efluentes seja altamente eficiente.

O empreendimento prevê o investimento de R$ 12,5 bilhões e tem potencial para alavancar a produção de toda a região Sul de Mato Grosso.  Na avaliação da equipe técnica da Sema, as áreas atualmente degradadas da região e que não são aptas para as culturas anuais, como a soja, poderão ser recuperadas com o eucalipto, cultura de ciclo longo e matéria prima da indústria a ser instalada. Para o pleno desenvolvimento sustentável da região, a Sema também solicitou a elaboração de planos de atendimento aos municípios afetados pelo empreendimento.

O presidente da Euca Energy, Gilberto Goellner, destacou que a região de Alto Araguaia foi escolhida pelas facilidades logísticas e por ter matéria-prima disponível em uma distância média de 70 quilômetros e pela disponibilidade hídrica. “Estamos instalando aqui uma indústria com a terceira melhor performance do Brasil. Temos um ambiente geográfico e logístico muito favorável ao empreendimento”, destacou o empresário que prevê o início das operações para dezembro de 2023.

Leia mais:  GARDEN VILLE: Condomínio de alto padrão está em fase de conclusão

Segmento

A indústria de produtos florestais tem hoje uma participação de 7% do PIB industrial. Além da celulose e do papel, as florestas plantadas fornecem matéria prima para pisos, painéis de madeira, madeira serrada e carvão vegetal, segundo dados da Indústria Brasileira de Árvores (IBA).

A fábrica de celulose que está sendo instalada na região do Araguaia poderá representar um gatilho para outras atividades ligadas às florestas plantadas, como a produção de madeira sólida.

Há também os ganhos ambientais, já que as florestas plantadas diminuem a pressão sobre as florestas nativas, podem ocupar e tornar novamente úteis áreas degradas (como as de pastagens), além de representar grandes avanços em termos de geração de emprego e renda nas regiões onde os polos-florestais são implantados.

O Brasil conta com grandes áreas com eucalipto, pinus, acácia, cedro australiano, teca, mogno entre outras. E a grande produção permite bons negócios com o exterior. Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), a madeira oriunda de reflorestamento no Brasil é exportada principalmente para Estados Unidos, Europa, México, Ásia, Arábia Saudita (celulose e madeira processada) e Índia, China e outros países da Ásia e da Europa (madeira em bruto).

Assista, a seguir, vídeo da Euca Energy.

 

publicidade

Empresas & Produtos

Na Lorenzetti, design e qualidade dos porcelanatos Helena são novidade para construção e reforma

Publicado

Quem está construindo ou reformando sabe que, com a obra a pleno vapor, chega a hora de escolher o piso e o revestimento. E este é um momento relevante, em que se deve primar pela combinação de design e qualidade, pois errar nesta fase significa transtorno e despesas altas lá na frente.

O porcelanato e a cerâmica são preferências imbatíveis quando se trata de pisos e revestimentos, tanto para ambientes internos quanto nas áreas externas. Porém, o porcelanato se consolida como unanimidade por reunir três aspectos fundamentais para obras residenciais e empresariais: Durabilidade, Versatilidade e Praticidade.

Na região de Tangará da Serra e Barra do Bugres, a referência em qualidade, quantidade e variedade em porcelanato é a Lorenzetti Materiais de Construção. As lojas da empresa dispõem de um amplo estoque de porcelanatos com uma vasta gama de cores, padrões e texturas.

Uma novidade são os porcelanatos Helena, o grande destaque da Expo Revestir 2020, feira realizada em março, no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

As peças da marca Helena Porcelanato conseguem aliar requinte e qualidade em todas as suas versões, nos acabamentos polido, acetinado ou rústico. Elas tem a durabilidade representada pela resistência mecânica característica do porcelanato, a versatilidade para ambientes internos e externos e o alto grau de praticidade na limpeza, já que o nível de absorção de água dos porcelanatos Helena é muito baixo, com a vantagem extra dos rejuntes finos, que também ajudam a evitar o acúmulo de poeira e outras sujeiras nas fendas.

Leia mais:  NOVA JANELAS & PORTAS: Fabricação de telhas em aluzinco é novidade no mercado local

Com estas qualidades reunidas, os porcelanatos Helena surpreendem na Lorenzetti pela sua grande procura. “Pensávamos que a pandemia traria influência na demanda, mas isso não aconteceu. A procura foi tanta por estes porcelanatos que tivemos de fazer novos pedidos à indústria”, conta Leodir Caregnatto, gerente da loja matriz da Lorenzetti, no centro de Tangará da Serra.

A amplo estoque e o alto giro da mercadoria asseguram os preços mais competitivos do mercado, o que é uma tradição da Lorenzetti Materiais de Construção, que já está em sua quarta década de atuação em Tangará da Serra. E, ainda sobre preços competitivos, a Lorenzetti também oferece promoções em outras marcas de porcelanatos.

Produto bom, preço em conta e atendimento diferenciado são o tripé para os bons negócios. Os orçamentos podem ser solicitados via WhatsApp, que é o mesmo número do telefone fixo da matriz, na Avenida Brasil: +55 65 3311-6000.

No Facebook, o atendimento é pela página @lorenzettimateriais · Materiais de construção.

Vale lembrar que neste final de ano, as compras na Lorenzetti dão direito a cupons da campanha ‘Natal Legal é no Comércio Local’, da Associação Comercial e Empresarial de Tangará da Serra (ACITS). Os cupons dão direito a concorrer, até 07 de janeiro, a R$ 80.000,00 em vales-compras.

Leia mais:  Madeira tratada: Bom negócio da floresta à construção, com ganhos ambientais e geração de empregos

Em Tangará da Serra, a Lorenzetti também tem lojas no Residencial Dona Júlia (Avenida Nilo Torres, telefone 3311-6020) e no Jardim Mirante (Rua 26 – Celso Rosa de Lima -, telefone 3311-6010). Já a loja em Barra do Bugres é na Avenida Hitler Sansão, telefone 065 3361-1363.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana