conecte-se conosco


Cidades & Geral

IMEA: Cleiton Gauer assume superintendência em substituição a Daniel Latorraca

Publicado

A partir de 1º de outubro, o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) terá um novo superintendente, o engenheiro agrônomo Cleiton Gauer (foto topo). Ele assume a liderança do instituto em substituição ao economista Daniel Latorraca, que se dedicou durante 12 anos ao Imea e agora irá concentrar sua expertise em novos projetos pessoais e profissionais.

Cleiton Gauer é natural de Taquara-RS, mas cresceu no interior de São Gabriel-RS numa propriedade familiar. Em 2016 veio para Mato Grosso e iniciou sua trajetória no Imea como Analista da Cadeia do Algodão. Com o passar do tempo, atuou em diversas cadeias até assumir a gestão técnica em 2019 e, posteriormente, a área de inteligência de mercado em 2020.

“Para mim é uma grande satisfação assumir este novo compromisso no instituto e eu espero poder contribuir ainda mais com as informações do agro mato-grossense para subsidiar as tomadas de decisões dos produtores rurais”, afirmou Gauer.

Daniel Latorraca começou a trabalhar no instituto em 2009 como estagiário e, em pouco tempo, tornou-se trainee e gestor. Estava como superintendente há 5 anos e nove meses. Esteve envolvido em importantes pesquisas e parcerias com instituições de ensino e de pesquisa e em projetos como o Rentabilidade no Meio Rural, Perfil do Agricultor Mato-Grossense na Era Digital, Guia do Investidor, entre outros. Foi cofundador e head de um dos primeiros hubs de inovação para agronegócio no Brasil, o Agrihub – o mais novo instituto do Sistema Famato.

Leia mais:  Feira do Centro oferece duas atrações típicas do Brasil e valiosas para a saúde e a culinária

“O sentimento é de satisfação e missão cumprida, depois de doze anos de serviços prestados para os produtores rurais, suas instituições e demais agentes do agronegócio em Mato Grosso. Agradeço a todos que me ajudaram, ensinaram, inspiraram e me deram a oportunidade de crescer ao longo da minha trajetória profissional”, disse Latorraca.

Sobre o Imea – O Imea foi criado em 1998 e faz parte do Sistema Famato. É um instituto referência em todo o país que faz levantamento e análise de dados de produção, mercadológicos e econômicos das principais atividades do agro mato-grossense. As informações coletadas são importantes para subsidiar produtores, entidades do agronegócio, instituições públicas e privadas nas tomadas de decisões.

(Ascom Famato)

publicidade

Cidades & Geral

Feira do Centro oferece duas atrações típicas do Brasil e valiosas para a saúde e a culinária

Publicado

Domingo, como reza a tradição, é dia de Feira em Tangará da Serra. E dois produtos muito atrativos na Feira do Produtor do Centro são as castanhas de caju e do Pará. As duas são alimentos saudáveis e compõem receitas extraordinárias, como nos links ao final do texto.

A castanha-do-pará é rica em proteínas, fibras, selênio, magnésio, fósforo, zinco e vitaminas do complexo B e vitamina E. Também fornece antioxidantes ao organismo, promovendo a diminuição do colesterol total. Melhora o sistema imunológico e ajuda a prevenir alguns tipos de câncer, como de mama, próstata e cólon.

Contribui para a saúde do cérebro e mantém o cabelo e as unhas saudáveis. Reduz a pressão alta, ajuda a regular a tireoide e é excelente fonte de energia.

Já a castanha-de-caju vem do fruto do cajueiro e é rica em antioxidantes, gorduras boas e minerais. Ajuda a prevenir o desenvolvimento de doenças do coração e anemia, além de melhorar a saúde da pele, unhas e cabelo. Segundo especialistas, consumir cerca de 30 gramas de castanha de caju por dia é uma alternativa para complementar os nutrientes consumidos diariamente.

Leia mais:  Feira do Centro oferece duas atrações típicas do Brasil e valiosas para a saúde e a culinária

Castanhas nos boxes

A castanha-do-pará oferecida na Feira do Centro é proveniente da região de Juína e de outras cidades e localidades da região norte do estado. Já a castanha de caju vem, principalmente, da região Nordeste do Brasil.

São comercializadas em vários boxes do setor de hortifruti, em especial nos boxes 16-C, de Elieder Santos; 21-A, de Francisco da Silva; 23-A, de Eliane Resende; e 42-A, de Elton Pereira.

Veja, a seguir, receitas com as duas castanhas:

https://www.receiteria.com.br/receitas-com-castanha-do-para/

https://www.receiteria.com.br/receitas-com-castanha-de-caju/

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana