conecte-se conosco


Cidades & Geral

IBGE: Tangará da Serra segue com três distritos; Deciolândia não figura como localidade distrital

Publicado

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realizou mais uma atualização na lista de municípios e subdivisões em distritos e subdistritos em todo o país. Na atualização, Tangará da Serra e os municípios da região não registram alterações, mantendo as já tradicionais subdivisões distritais.

A Divisão Territorial Brasileira detalha a estrutura territorial do país, enumerando as Macrorregiões, Unidades da Federação, Mesorregiões, Microrregiões e Municípios, além de suas subdivisões internas, os distritos e subdistritos ou regiões administrativas. O IBGE sistematiza todas essas informações, monitorando eventuais alterações na Divisão Político-Administrativa, através de atualizações anuais.

No levantamento mais recente, referente a 2019, a estrutura territorial brasileira mantém 5.568 municípios desde 2013. Somam-se a esses municípios um distrito federal (Brasília) e um distrito estadual em Pernambuco (Fernando de Noronha).

Já as divisões intramunicipais passam por mudanças com maior dinamismo. Em 2019, totalizavam 10.607 distritos municipais e 686 subdistritos, contra 10.496 distritos e 683 subdistritos em 2018.

Sudoeste e microrregiões

Tangará da Serra é a principal cidade da mesorregião sudoeste do estado.

Os municípios da região polarizada por Tangará da Serra mantiveram em 2019 as suas subdivisões já divulgadas no mesmo estudo do IBGE desde 2013.

Leia mais:  Meteorologia prevê onda de frio intenso no país; Tangará da Serra poderá ter mínimas de 5°C

Tangará da Serra, que empresta seu nome à microrregião e integra a mesorregião Sudoeste de Mato Grosso, se manteve com os distritos de Progresso, João Jorge e São Joaquim. A localidade de Gleba Triângulo não consta como distrito, sendo considerada vila de uma região de assentamento.

Gleba Triângulo, tradicional localidade do interior de Tangará da Serra, e classificada como “vila”.

Barra do Bugres, da mesma microrregião, figura na atualização com os distritos de Assari e Tapirapuã. O enquadramento geográfico de Nova Olímpia é o mesmo.

A localidade de Bauxi, passagem obrigatória para quem se desloca de Tangará/Barra a Jangada/Cuiabá e vice-versa, é distrito pertencente a Rosário Oeste, que empresta seu nome à microrregião e compõe a mesorregião Centro-Sul Mato-grossense.

Já Campo Novo do Parecis também conta com dois distritos: Itanorte e Marechal Rondon. O “celeiro da Produção” integra a microrregião do Parecis, que por sua vez faz parte da mesorregião Norte Mato-grossense.

Metropolitana

A capital, Cuiabá, empresta seu nome à microrregião da qual pertence, que, por sua vez, pertence à mesorregião Centro-Sul. Fazem parte do município de Cuiabá os distritos de Coxipó da Ponte, Coxipó do Ouro, Guia, Nova Esperança (Pequizeiro), Aguaçú e Sucuri.

Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá: Capital possui seis distritos em seu território.

Já Várzea Grande, que compõe a região metropolitana e, evidentemente, na mesma microrregião e mesorregião da capital, possui os distritos de Bom Sucesso, Passagem da Conceição, Porto Velho e Capão Grande.

Leia mais:  Meteorologia prevê onda de frio intenso no país; Tangará da Serra poderá ter mínimas de 5°C

Deciolândia

Importante área produtora de grãos de Mato Grosso, a localidade de Deciolândia não consta na lista de distritos e subdistritos de 2019 do IBGE. Com grandes áreas de lavoura de soja e milho, a localidade pertence a Diamantino, mas tem forte vínculo socioeconômico com Tangará da Serra, município distante 50 quilômetros ao sul.

Às margens da BR-364, o local é considerado um ‘vilarejo’. Além de lavouras de grãos e fazendas altamente mecanizadas, Deciolândia dispõe de uma área urbanizada com cerca de 15 quarteirões e áreas com posto de combustível, depósitos, armazéns e outros estabelecimentos correlatos ao agronegócio.

publicidade

Cidades & Geral

Meteorologia prevê onda de frio intenso no país; Tangará da Serra poderá ter mínimas de 5°C

Publicado

Uma forte e extensa massa de ar frio atinge o Brasil a partir de domingo (15) causando acentuada queda de temperatura em diversas regiões. A partir do dia (16), a massa de ar frio se desloca rapidamente pelo Sul avançando para áreas das regiões Centro-Oeste e Sudeste e, durante à noite, chega aos estados de Rondônia e Acre, causando o segundo episódio de friagem.

Em Mato Grosso, o frio poderá ser recorde a partir da noite de quarta-feira (18), com mínimas de 7°C na capital, Cuiabá, e de 5° C em Tangará da Serra. Na quinta-feira, os termômetros poderão apontar 4°C na cidade da Serra de Tapirapuã (Veja imagem abaixo).

A friagem deverá persistir por até uma semana, segundo previsões nos principais sites especializados em meteorologia do país, como o Clima Tempo, o Cptec/Inpe e o Inmet.

A figura a seguir, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), apresenta a previsão de temperatura mínima no início da manhã dos dias 18 e 19 (quarta-feira e quinta-feira).
Tons em azul e roxo indicam áreas com previsão de temperatura mínima menor que 12°C. Destaque para áreas das Serras Gaúcha e Catarinense e no Planalto Sul do Paraná, sudeste de Minas Gerais e Serra da Mantiqueira onde as temperaturas deverão ser negativas.

Leia mais:  Governador autoriza licitação do primeiro lote de pavimentação da MT-358, no Chapadão

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana