conecte-se conosco


Cidades & Geral

Hospital Regional: Prazo final para propostas e sugestões da sociedade é o próximo dia 03

Publicado

O prazo final fixado pelo Executivo Municipal para definir o caminho a ser seguido para a sequência do processo de instalação do hospital municipal de Tangará da Serra é o dia 03 de novembro, às 17h00.

Até lá, o município receberá da comunidade local propostas e sugestões relacionadas à área destinada à unidade hospitalar para o devido encaminhamento. Há três opções: a manutenção do processo já em andamento (com área já aprovada pela Câmara Municipal para aquisição – imagem do topo), a aceitação de área a ser doada pelo empresário Antônio Cabral, e a proposta de venda de uma área nas proximidades do bairro Morada do Sol.

A tendência, confirmada pelo prefeito Vander Masson, é a manutenção do processo já em trâmite.

A tendência, confirmada pelo prefeito Vander Masson, é a manutenção do processo já em trâmite, alternativa que conta com respaldo da sociedade local, em manifestações no debate público ocorrido na noite dessa segunda-feira (25), no Centro Cultural.

Cronologia

Ex-vereador Wellington Bezerra e arquiteto Luciano Narezzi: Apoio ao processo em trâmite e agilidade nos encaminhamentos.

O grande problema é o prazo que o município tem para dar o ‘start’ ao governo do Estado, que licitará a obra do hospital regional. Este prazo, que já era apertado, ficou ainda mais limitado após o congelamento do processo por conta de denúncia de sobrepreço na área desapropriada e adquirida pelo município.

Leia mais:  Governador autoriza licitação do primeiro lote de pavimentação da MT-358, no Chapadão

A Câmara Municipal aprovou em 22 de setembro o projeto de lei para desmembramento e aquisição da área de 91 mil metros quadrados junto ao anel viário. No dia 07 de outubro, veio a suspensão do processo por determinação do Ministério Público. Daquela data até hoje um lapso temporal de 19 dias de paralisação de todo o processo.

A partir de agora, o tempo restante contará com interrupção de pelo menos 20 dias por conta do recesso de final de ano do governo, com retomada de tempo hábil até final de abril de 2022, quando cessam os processos licitatórios em razão do período eleitoral.

Apoio ao processo

No debate público de ontem (segunda, 25), a grande maioria dos que se manifestaram demonstrou apoio à continuidade do processo já em andamento. Outros destacaram a importância de se observar o plano diretor, opinião que descartou a área oferecida em doação, por estar fora da zona de expansão urbana.

Vereador Eduardo Sanches e Ronan, da comunidade indígena Paresi, também opinaram de forma favorável.

Declararam apoio ao processo em trâmite os vereadores Rogério Silva (DEM), Eduardo Sanches (PSL), Sebastian Ramos, Ademir Anibale (MDB), Davi Oliveira (PSB), Doutor Bandeira (PDT), Edmílson Porfírio (PSDB) e Elaine Antunes (PODEMOS), além do presidente da Câmara, vereador Fábio Brito (PSDB).

Leia mais:  Meteorologia prevê onda de frio intenso no país; Tangará da Serra poderá ter mínimas de 5°C

Representantes da sociedade civil organizada também declararam apoio ao processo já com a área definida e observância do plano diretor. Entre os que fizeram uso da palavra figuraram Iodomir Carvalho (empresário rural e membro da Loja Maçônica Estrela de Tangará), Júnior Rocha (Acits), Selton Vieira (membro do CONCIDADE), Alessandro Rodrigues Chaves (CDL), Romeu Chiochetta (presidente do Sindicato Rural), Ronan Kezomazekamae (Comunidade Indígena Paresi), Gilberto Alves Camargo (produtor, assentamento Bezerro Vermelho) e Luiz Marcos Nogueira de Oliveira (liderança comunitária).

O ex-vereador e corretor de imóveis Wellington Bezerra, além de declarar apoio, disse, com base em seu conhecimento de mercado imobiliário, não haver sobrepreço na área já definida no processo. Na mesma linha, o arquiteto Luciano Narezzi avaliou ser justo o preço da área (R$ 75,00/m²). “Não temos mais tempo a perder e, se está tudo certo, o processo deve seguir”, concluiu.

publicidade

Cidades & Geral

Meteorologia prevê onda de frio intenso no país; Tangará da Serra poderá ter mínimas de 5°C

Publicado

Uma forte e extensa massa de ar frio atinge o Brasil a partir de domingo (15) causando acentuada queda de temperatura em diversas regiões. A partir do dia (16), a massa de ar frio se desloca rapidamente pelo Sul avançando para áreas das regiões Centro-Oeste e Sudeste e, durante à noite, chega aos estados de Rondônia e Acre, causando o segundo episódio de friagem.

Em Mato Grosso, o frio poderá ser recorde a partir da noite de quarta-feira (18), com mínimas de 7°C na capital, Cuiabá, e de 5° C em Tangará da Serra. Na quinta-feira, os termômetros poderão apontar 4°C na cidade da Serra de Tapirapuã (Veja imagem abaixo).

A friagem deverá persistir por até uma semana, segundo previsões nos principais sites especializados em meteorologia do país, como o Clima Tempo, o Cptec/Inpe e o Inmet.

A figura a seguir, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), apresenta a previsão de temperatura mínima no início da manhã dos dias 18 e 19 (quarta-feira e quinta-feira).
Tons em azul e roxo indicam áreas com previsão de temperatura mínima menor que 12°C. Destaque para áreas das Serras Gaúcha e Catarinense e no Planalto Sul do Paraná, sudeste de Minas Gerais e Serra da Mantiqueira onde as temperaturas deverão ser negativas.

Leia mais:  Governador autoriza licitação do primeiro lote de pavimentação da MT-358, no Chapadão

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana