conecte-se conosco


Infraestrutura & Logística

Governo declara Rumo Logística habilitada para construção de ferrovia estadual de 730 km

Publicado

O Governo de Mato Grosso aprovou a proposta e os documentos apresentados pela Rumo Logística S/A e declarou a  empresa habilitada a assinar o contrato de adesão  e obter autorização para a construção, implantação e exploração da primeira ferrovia estadual de Mato Grosso.

A proposta foi a única apresentada na Chamada Pública para implantação de 730 quilômetros de linha férrea em Mato Grosso e a homologação do resultado está publicada na edição extra do Diário Oficial do Estado que circulou na última sexta-feira (10.09).

Homologação do resultado está publicada na edição extra do Diário Oficial do Estado que circulou na última sexta-feira (10.09).

O projeto da ferrovia (vide mapa na imagem do topo) prevê a implantação de trilhos e terminais que vão interligar os municípios de Rondonópolis a Cuiabá, além de Rondonópolis com Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, e que vão se conectar à malha ferroviária nacional, em direção ao Porto de Santos (SP).

O presidente da Comissão da Chamada Pública, Joelson Matoso, explica que tanto a proposta da empresa como os documentos de habilitação apresentados foram analisados pela comissão que se dedicou integralmente à verificação das informações desde a sessão de abertura dos envelopes, realizada no último dia 3.

Leia mais:  MT-358: Trecho entre Tangará e Serra dos Parecis segue em reparos pela concessionária

A comissão é composta por servidores da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) e da  Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Ager).

“Analisamos a viabilidade locacional do trecho da ferrovia, a compatibilidade do projeto com as diretrizes e políticas de infraestrutura estaduais e os documentos para habilitação jurídica, técnica, fiscal, trabalhista, econômica e financeira. Um trabalho extenso que culminou na habilitação da empresa para assinar o contrato de exploração”, explicou.

A proposta apresentada pela empresa prevê investimento de R$ 11,2 bilhões para a implantação da ferrovia estadual, com início de obras já em 2022. Também está previsto o início da operação do trecho entre Rondonópolis e Cuiabá no ano de 2025, enquanto a operação no trecho Cuiabá a Lucas do Rio Verde deverá começar  em 2028. Estudos realizados pela empresa indicam que mais  de 230 mil empregos serão gerados durante os anos de construção da ferrovia.

Para o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, a implantação da ferrovia é um marco para a história do Estado e um exemplo para o Brasil, de modo que o projeto da ferrovia estadual pode ser considerado uma vitória de todos os mato-grossenses.

Leia mais:  Obras autorizadas na 358, no Chapadão, consolidam uma solução para os gargalos logísticos do MT

Isto porque, com a implantação da ferrovia, Mato Grosso se tornará mais competitivo, com maior capacidade de escoamento dos produtos do agronegócio, haverá redução dos custos do frete e do transporte, além da melhoria da infraestrutura logística como um todo. Ao menos 27 municípios de Mato Grosso, que estão próximos do traçado da linha férrea, serão beneficiados diretamente com a ferrovia.

“Estamos fazendo a integração rodoferroviária em Mato Grosso. Vamos interligar rodovias com a ferrovia e diminuir as distâncias das regiões reconhecidamente produtoras do Estado e do país, como é o Médio-Norte mato-grossense, com portos exportadores do Brasil.  Um ganho de desenvolvimento para o Estado, para o produtor, para o cidadão. Tudo resultado da coragem e da visão de estadista do governador Mauro Mendes, que nos deu a missão de conduzir esse tão importante projeto para Mato Grosso”, afirmou o secretário.

Com a homologação do resultado, o Governo de Mato Grosso e a Rumo Logística S/A têm até 20 dias para a assinatura do contrato que autoriza a empresa a explorar a ferrovia pelo prazo de 45 anos e permite que a infraestrutura ferroviária possa ser compartilhada pela Rumo com outra empresa de transporte ferroviário que venha a prestar serviços no Estado.  A previsão é de que o contrato seja assinado na próxima semana.

(Redação EB, com Assessoria Sefaz-MT)

publicidade

Infraestrutura & Logística

MT-240: Cronograma de obras prevê entrega da pavimentação até Santo Afonso em dezembro

Publicado

Foram oficialmente retomadas ontem (quinta, 19) as obras de pavimentação do trecho de 37,16 quilômetros da MT-240, entre Tangará da Serra e Santo Afonso. A retomada foi anunciada durante reunião de trabalho, em Tangará, entre as prefeituras dos dois municípios (que integram o termo de cooperação com o governo do Estado), a associação parceira e a Guaxe Construtora e Terraplenagem, empreiteira que assume os trabalhos. (Veja vídeos ao final da matéria)

Grande anseio da região entre Tangará e Santo Afonso, as obras foram retomadas após suspensão por problemas técnicos na execução. O governo do Estado optou pela celebração de contrato com a Guaxe, que figura como sétima classificada no certame licitatório, permitindo a continuidade das obras.

Reunião de trabalho definiu detalhes da retomada das obras na MT-240.

Segundo o superintendente da entidade parceira – Associação dos Produtores da Rodovia MT-240 -, Edilson Sampaio, o cronograma indica a realização das obras em duas etapas, sendo a primeira cumprida até o mês de julho, com terraplenagem em 19 quilômetros e pavimentação de 14 quilômetros em TSD (Tratamento Superficial Duplo), e a segunda com a obra concluída na totalidade do trecho de 37 quilômetros até 31 de dezembro deste ano. “Nesta reunião acertamos detalhes importantes para o andamento das obras, como a limpeza do trecho, sinalização, semeadura de grama nas margens e outras ações pelas prefeituras, obtenção de cascalho e questões técnicas dos trabalhos”, disse Sampaio.

Visitação às obras na 240: Conclusão até dezembro.

Integração e crescimento

Leia mais:  MT-240: Cronograma de obras prevê entrega da pavimentação até Santo Afonso em dezembro

O prefeito de Santo Afonso, Luís Fernando Ferreira Falcão (União), comemorou a retomada das obras, que corriam o risco de emperrar em razão de problemas técnicos. “Temos que destacar a colaboração da Guaxe, que aceitou assumir as obras. Sem isso as obras não poderiam ser retomadas sem uma nova licitação, em razão do ano eleitoral”, disse o gestor, que prevê importantes benefícios socioeconômicos para seu município com a rodovia asfaltada. “Vamos assistir a um impulso para a economia de Santo Afonso”, acrescentou.

Prefeito de Santo Afonso, Luís Fernando: “Vamos assistir a um impulso para a economia”.

Já o prefeito de Tangará da Serra, Vander Masson (PSDB), participou da reunião de trabalho com o secretário de Infraestrutura do município, Magno César Ferreira, e também demonstrou satisfação com a retomada. “A pavimentação desta rodovia é um sonho antigo da nossa região e representará qualidade de vida, uma integração importante entre Tangará e Santo Afonso para o fluxo dos moradores da região e escoamento da produção”, observou.

Produção

A MT-240 serve uma região de considerável capacidade produtiva, com mais de 15 mil hectares cultivados de soja e milho e pecuária de corte. A região também conta com o assentamento Nossa Senhora Aparecida, que reúne cerca de 70 famílias de pequenos agricultores que produzem hortifrutigranjeiros, lavoura branca, além de frangos, leite e pequenos animais.

Leia mais:  Obras autorizadas na 358, no Chapadão, consolidam uma solução para os gargalos logísticos do MT

*Veja vídeos a seguir:

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana