conecte-se conosco


Cidades & Geral

Em debate público sobre HR, opinião dominante é pela continuidade do processo em trâmite

Publicado

A continuidade do processo já em trâmite para instalação do hospital regional em Tangará da Serra foi opinião que predominou entre os presentes no debate público promovido pelo Executivo Municipal, na noite desta segunda-feira (25), no Centro Cultural.

A decisão da reunião, que será devidamente transcrita em ata, ainda terá complementação com o protocolo de propostas e sugestões até o prazo de 03 de novembro, às 17h00, junto ao gabinete do Executivo. Uma vez apurada a vontade popular, o município solicitará nova audiência de conciliação com a Judiciário e com o Ministério Público para comunicar o que foi decidido e, então, encaminhar o processo ao governo do Estado.

Opinião unânime manifestada pelos presentes no debate público da noite desta segunda-feira, em Tangará da Serra, tende a ser acatada pelo prefeito Vander Masson.

A instalação da unidade hospitalar que será mantida pelo Estado foi tema levado a público pelo Executivo, com convite à sociedade em geral e ao Ministério Público formalizado pelo prefeito Vander Masson na última sexta-feira (22). O debate foi motivado pela intervenção do MP (que não contou com representante na reunião), que acatou denúncia anônima de sobrepreço na área desapropriada e adquirida pelo município, com aval da Câmara Municipal, sendo, portanto, assunto de interesse comum de Tangará da Serra e municípios da região anexa.

Leia mais:  Tangará da Serra busca ampliar tratamento de esgoto; Setor imobiliário já sente limitação

Opções

Na reunião houve manifestações de membros de praticamente todos os setores da sociedade civil organizada e de lideranças políticas, todas elas favoráveis à manutenção do processo já em trâmite, cuja área desapropriada e já adquirida será encaminhada ao governo do Estado para que se proceda na licitação das obras do hospital regional.

Além do processo já em andamento, o debate público avaliou a possibilidade de o município aceitar área em doação pelo empresário Antônio Cabral, do grupo Habitabem, tradicional empresa do setor imobiliário. A área, de 10 hectares, está localizada à margem da avenida Alvadi Monticelli exatamente oposta ao trevo de acesso ao Residencial Alto da Boa Vista.

A área ofertada, porém, está fora da zona de expansão urbana prevista na Lei Complementar 210/2015, que dispõe sobre o Plano Diretor Participativo do Município de Tangará da Serra. Assim, para que a área em doação fosse aceita, seria necessário a alteração da norma.

Opção, também, foi uma proposta de venda de área localizada nas imediações do bairro Morada do Sol, com preço de R$ 60 o metro quadrado, ante os R$ 75 por m² da área que integra o processo em trâmite. Esta opção ainda passará por análise, mas a questão do tempo que demandaria o novo processo de aquisição – pelo certame licitatório recomendado pelo MP -, além da documentação, é um obstáculo que deverá pender a favor da manutenção do processo já em andamento.

Leia mais:  Efeito Capitólio: Estado faz vistoria nos paredões do Parque de Chapada dos Guimarães

Decisão prevista

A opinião unânime manifestada pelos presentes no debate público da noite desta segunda-feira, em Tangará da Serra, tende a ser acatada pelo prefeito Vander Masson, apesar de considerar a legitimidade da atuação do MP e, ao mesmo tempo, discordar de licitação para aquisição de áreas. “Se há o apoio da população, seguiremos com o processo em trâmite”, disse, durante o evento.

publicidade

Cidades & Geral

Tangará da Serra: Covid-19 e H3n2 motivam decreto; Eventos até dia 06 são mantidos

Publicado

A escalada da pandemia do novo coronavírus e o surto de influenza (H3n2) resultaram em decreto com medidas de contenção das duas doenças em Tangará da Serra. O município é o terceiro da região – após Porto Estrela e Barra do Bugres – a impor medidas preventivas no intuito, principalmente, de conter a propagação da Covid-19.

Na tarde desta segunda-feira (17), o prefeito de Tangará da Serra, Vander Masson (PSDB), anunciou o decreto 006/2022, com 11 artigos que impõem, até o próximo dia 31, com uma série de medidas preventivas.

Decreto foi anunciado na tarde desta segunda-feira (17), pelo prefeito Vander Masson.

As atividades no Comércio e Serviços – incluindo bares, restaurantes, lanchonetes e congêneres -, além de academias, seguem autorizados, conforme horário dos alvarás e com medidas de biossegurança previstas no decreto.

Nas igrejas e templos, os cultos e celebrações seguem autorizados, também com obrigatoriedade de medidas de prevenção.

Os eventos sociais, artístico-culturais, técnicos, científicos, corporativos e outros que estejam marcados e já divulgados até 06 de fevereiro estão autorizados, devendo seguir os procedimentos de biossegurança. Novos eventos deverão ser comunicados com 30 dias de antecedência à Vigilância Sanitária.

Leia mais:  Caminhoneiros querem melhorias nas serras dos Parecis e de Tapirapuã, em Tangará da Serra

Aulas e esportes

O processo de retomada das aulas estará baseado em análises e monitoramento das autoridades sanitárias e do Comitê Interinstitucional de Prevenção e Monitoramento do Coronavírus.

O decreto não faz menção específica à questão dos esportes coletivos e atividades esportivas em geral.

O decreto será publicado ainda hoje (segunda, 17) e estará disponível no site do município, no link a seguir:

https://tangaradaserra.mt.gov.br/?tipo_legislacao=decreto

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana