conecte-se conosco


Cidades & Geral

Dengue em Tangará da Serra: Com 915 registros até abril, doença tem 4 vezes mais casos em 2022

Publicado

Tangará da Serra somou 915 casos de dengue até 30 de abril deste ano. O número é quatro vezes maior (438%) em comparação com 2021, cujos registros somaram 170, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde.

Segundo a secretária municipal de Saúde, os números da dengue nos primeiros quatro meses deste ano são casos confirmados e, portanto, não se resumem em notificações submetidas a análise. O pico do quadrimestre foi verificado em março com 491 casos.

Ainda segundo a Secretaria Municipal de Saúde, neste ano não há, por enquanto, registros de casos de zika e chikungunya no município.

Números da SES-MT

Contudo, os registros do município apresentam números divergentes dos apresentados pela Secretaria de Estado de Saúde. Segundo a pasta estadual, onde o acumulado aponta para 482 casos na semana epidemiológica de 01 a 17. Pela SES-MT, Tangará da Serra ocupa o 9º lugar entre os municípios sob risco alto e com maior incidência de dengue no estado, sendo superada em número de casos por  Sinop (1.685), Nova Mutum (1.569), Sorriso (1.504) Lucas do Rio Verde (1.379), Querência (711), Alta Floresta (519), Campo Novo do Parecis (493), Barra do Garças (583).

Leia mais:  Estrada entre Arenápolis e Nortelândia será duplicada; Licitação já lançada pelo Governo

Nas três maiores cidades do estado, os números são menores. Na capital, os casos apontados pela SES-MT somam 433, enquanto em Várzea Grande são 100 casos confirmados. Em Rondonópolis, no Sudeste do MT, os casos acumulados em 30 de abril, segundo a SES-MT, somam 84.

Por outro lado, os números de 2022 em Tangará da Serra ainda são menores que os de 2020, quando os casos de dengue somaram 1.209 no primeiro quadrimestre, com pico sendo o mês de fevereiro, com 484 casos confirmados.

Mutirão

Diante do aumento no número de casos, agentes de saúde visitam domicílios para orientar e detectar criadouros.

Diante da alta nos números da dengue no município, a prefeitura local, através da Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde, realiza mutirão de combate à dengue nos bairros Altos Tarumã, Parque Tarumã e Jardim Bela Vista, como parte da campanha Tangará contra a doença.

O objetivo é eliminar criadouros do mosquito aedes aegypti, iniciando nesses bairros que concentram um alto índice de infestação do mosquito e muitos casos notificados da doença. Para isso, o mutirão é dividido em três etapas, sendo a primeira realizada com a visita dos agentes comunitários, levando orientação aos moradores sobre os perigos das doenças transmitidas pelo mosquito e pedindo para que a comunidade participe do mutirão.

Leia mais:  Aeroporto Regional: “Previ isso ano passado”, disse Mendes, sobre falta empreiteiras no MT

Já a segunda etapa fica por conta do morador, que deverá recolher todos os materiais e entulhos e deixá-los em frente às suas casas. Nesta segunda (23) e amanhã (terça,24), ocorre a última etapa, com as equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Sinfra) e voluntários da Defesa Civil fazendo o recolhimento.

publicidade

Cidades & Geral

Feira do Centro oferece um riquíssimo alimento conhecido pelo homem há 6 mil anos

Publicado

Entre tantos produtos de destaque da Feira do Produtor do Centro, o leite natural é um deles. Este produto de origem animal e seus derivados, integram um grupo de alimentos essenciais na alimentação. É rico em cálcio e proteínas e, também, é importante fonte de fósforo, potássio, sódio e vitaminas.

O leite faz parte da alimentação das pessoas já na infância, compondo a dieta humana há 6.000 anos, desde o período Neolítico (idade da pedra polida), quando o homem se sedentarizou.

Segundo especialistas em nutrição, o consumo de leite é importante em todas as idades, pois contém cálcio, com alta biodisponibilidade. Faz bem aos ossos e ao coração, previne a depressão e auxilia no crescimento, ajuda na formação da massa muscular e contribui para perda de peso nos casos em que a balança aponta excesso.

Valdeci, com a esposa Cleide: Tradição na produção e comercialização de leite natural e derivados.

Seu consumo adequado ao longo da vida permite manter a densidade óssea, protegendo contra doenças como a osteoporose. De quebra, contribui para a qualidade do sono, controla a diabetes, hidrata o organismo, melhora a pressão arterial e regula a flora intestinal.

Leia mais:  Estrada entre Arenápolis e Nortelândia será duplicada; Licitação já lançada pelo Governo

Não é verdade que o leite de vaca contém hormônios injetados no animal. O leite natural é, isso sim, um alimento completo, absolutamente saudável e muito bem aceito pelas crianças.

É ingrediente fundamental da gastronomia, compondo diversas receitas. Veja no link: https://www.receitasnestle.com.br/blog-post/receitas-com-leite.

Onde

Na Feira do Centro, o leite natural e seus derivados são destaque Box-81, de Valdeci Ferraz Aquino e família. Com propriedade no Acampamento (Linha 12), Valdeci, preside a Associação dos Feirantes e é o gestor do mercado público. Em seu box, ele comercializa, além do leite natural, derivados como queijos, doce pastoso, doce em cubos, nata e a tradicional ‘cachorrada’, um delicioso doce semelhante à ambrosia, porém sem ovos.

O leite natural e os queijos também podem ser encontrados nos boxes 5-A (Pedro José de Freitas), 6-A (Neide Cristina), 9-A (Flávio e Sandra Freitas), 10-A (Sônia Freitas) e 51-A (Fábio Hipólito), todos com propriedades no Córrego das Pedras. Nos boxes 20-A e 51-A, Osvaldir Bandiera e Edson Cabral de Souza também oferecem leite e queijos vindos do Acampamento e da Gleba Bandeirantes.

Leia mais:  Feira do Centro oferece um riquíssimo alimento conhecido pelo homem há 6 mil anos

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana