conecte-se conosco


Cidades & Geral

Criminosos usam boletos falsos para aplicar golpes em empresas de Tangará e região

Publicado

Criminosos voltaram a aplicar o golpe do boleto em várias empresas de Tangará da Serra e deixam em alerta toda a comunidade empresarial local. O caso foi denunciado pelo setor financeiro de uma empresa local, que já registrou boletim de ocorrência junto à Polícia Judiciária Civil.

O golpe já é conhecido em todo o país desde 2018, mas desta vez vem com a ‘inovação’ de um comunicado de protesto caso a vítima não quitar até determinada data, normalmente no dia seguinte à mensagem (imagem abaixo). Outra justificativa utilizada pelos criminosos é que teria havido problemas operacionais no sistema de faturamento de notas fiscais da empresa (usando o nome do fornecedor), o que exige a substituição por outro boleto, pedindo à vítima que desconsidere o boleto verdadeiro. Há, também, um suposto desconto como atrativo adicional.

Mensagens encaminhadas pelos golpistas nos e-mails das vítimas.

Os boletos (imagem do cabeçalho da matéria) são gerados pelos estelionatários depois de hackear os arquivos das movimentações de baixa do sistema de contas a receber da empresa vítima. A fraude, então, é encaminhada ao e-mail da empresa-vítima, que nem sempre desconfia por constar no boleto como cedente o nome do fornecedor com o qual mantém relações comerciais.

Leia mais:  Tangará da Serra: Coleta de lixo terá nova empresa a partir do dia 07, em substituição à Sanetran

Os bandidos utilizam os e-mails [email protected] e [email protected] (enlaces em vermelho na imagem acima) como origem da mensagem. O boleto pode ser de qualquer banco e a mensagem é assinada pelo departamento financeiro do suposto fornecedor com um nome fictício (setas indicativas na imagem acima).

Os boletos falsos seguem os padrões normais, com informações do cedente. Os fraudadores utilizam o XML da nota fiscal eletrônica, copiando exatamente as letras e números do campo da duplicata. Assim, a vítima é induzida a efetuar o pagamento, que não cai na conta do fornecedor, e sim na do golpista.

Para evitar o golpe, é importante que todo boleto recebido por e-mail seja checado junto ao fornecedor, uma vez que a indicação de desconto, o formato técnico da mensagem e o nome de uma empresa parceira também induzem a vítima ao erro.

Prática

Os primeiros registros do golpe do boleto no país são de 2018. A fraude já rendeu valores expressivos aos criminosos, mas também levou à prisão de uma quadrilha com base em Brasília.

Leia mais:  Comércio Regional: Luzes, horários especiais e campanhas incentivam consumidores no Natal

Segundo informações levantadas pela reportagem, esse é mais um dos golpes cibernéticos proporcionados pelo uso descuidado da internet. Para o boleto ser clonado ou espelhado por hackers, basta a ação de vírus que se instala a partir de e-mails suspeitos ou redes sociais não seguras.

Outra possibilidade é o hackeamento de bancos de dados da fazenda pública, nas esferas municipal, estadual e federal, com os criminosos valendo-se de argumentos relacionados a tributos ou inconsistências no sistema de faturamento e emissão de notas para convencimento das vítimas, como ocorre no golpe que está sendo aplicado em Tangará da Serra e região.

publicidade

Cidades & Geral

Barra do Bugres: Maternidade tem recursos de R$ 500 mil, com obras previstas para março

Publicado

As obras da maternidade pública de Barra do Bugres deverão iniciar no mês de março. Ao menos é esta a expectativa após o anúncio de uma verba do Estado, no valor de R$ 500 mil, que será assegurada através de emenda parlamentar.

A emenda parlamentar foi anunciada pelo deputado estadual Paulo Araújo (PP) durante reunião no auditório da Câmara Municipal com a prefeita de Barra do Bugres, Maria Azenilda Pereira (MDB), vereadores e secretários. Também participaram da reunião o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Marcos Aurélio da Silva, e o presidente da Associação Comercial e Industrial de Barra do Bugres (ACIBB), Iandro Almicci.

A pauta da reunião foi a construção da maternidade de Barra do Bugres. O município, que não conta com nenhum hospital público ou privado, se obriga a encaminhar gestantes para partos em maternidade no município vizinho de Arenápolis, o que significa, também, aumento de custos.

Segundo o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Marcos Aurélio da Silva, o projeto da obra já está em análise para que as obras tenham início o mais rápido possível, já que se trata de uma demanda urgente do município.

Leia mais:  Projeto de lei prevê isenção de alvará e IPTU para bares, restaurantes e casas de festas e eventos

Segundo informações do município, em se confirmando o depósito dos recursos prometidos pelo deputado, as obras terão início já em março próximo.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana