conecte-se conosco

Saúde Pública

Covid-19: Tangará da Serra segue com UTIs superlotadas; Mato Grosso sem leitos disponíveis

Publicado

A lotação de leitos pactuados de unidades de terapia intensiva (UTIs) em Tangará da Serra e em todo o estado é o retrato da gravidade da pandemia do novo coronavírus em Mato Grosso.

Segundo boletim divulgado na manhã de hoje pelo Comitê Interinstitucional de Prevenção e Monitoramento do Coronavírus, todos os 13 leitos de UTI exclusivos para pacientes com Covid-19 em Tangará da Serra estão ocupados. Na rede privada, a situação é pior, já que há superlotação: 105% de taxa de ocupação. Nas enfermarias, 63% dos leitos públicos estão ocupados. (Veja boletim ao final da matéria)

Hospital Municipal tem ocupados todos os seus 13 leitos de UTI Covid-19.

No estado, a taxa de ocupação é de 97%, mas a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) informa que não há leitos disponíveis, e que os que vão sendo desocupados são imediatamente utilizados para pacientes que aguardam na fila de internação. Os números estão no Painel Informativo nº 400 (http://www.saude.mt.gov.br/painelcovidmt2/), datado de ontem (segunda, 12), à tarde.

Leia mais:  Município avalia hoje quadro da pandemia e decide sobre comércio e quarentena

Tangará da Serra

De acordo com o boletim epidemiológico desta terça-feira, Tangará da Serra soma 11.267 casos acumulados desde o primeiro registro da doença no município, em 1º de abril do ano passado.

Destes, 10.973 pacientes alcançaram a cura, perfazendo um índice de recuperação de 97,3%. Por sinal, o índice de cura vem se mantendo acima de 97% desde o mês de dezembro.

Gráfico demonstrativo de casos ativos de Covid-19 no mês de abril, em Tangará da Serra.

Os casos ativos no município somam 94, numa média diária de 95 ativos, levemente superior à média de 93 de março. Os óbitos, por sua vez, somam 200, sendo que 10 fatalidades ocorreram neste mês de abril.

A média diária de ocorrência de novos casos em abril é de 45, ante uma média de 40 no mês anterior.

Já a média diária de pacientes que procuram a URA do município por estarem com sintomas da Covid-19 é de 204, contra 190 em março.

Leia mais:  Covid-19: Município contratará de quatro a seis médicos, além de enfermeiros e técnicos, diz prefeito

Estado

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde de ontem (segunda, 12, 331.548 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 8.679 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 1.984 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 331.548 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 12.327 estão em isolamento domiciliar e 308.473 (93%) estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 517 internações em UTIs públicas e 487 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 97,73% para UTIs adulto e em 61% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (70.683), Rondonópolis (24.787), Várzea Grande (21.544), Sinop (16.767), Sorriso (12.139), Tangará da Serra (11.267), Lucas do Rio Verde (10.836), Primavera do Leste (9.634), Cáceres (7.122) e Alta Floresta (6.426).

(*) Abaixo, Boletim Epidemiológico de Tangará da Serra

publicidade

Saúde Pública

Vacina Covid-19: Região recebe mais 5.420 doses; AstraZeneca é suspensa para gestantes

Publicado

O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), concluiu na manhã de ontem (segunda, 10) a distribuição aos polos regionais de saúde das 75.300 doses de vacina contra a Covid-19, sendo 14.800 doses da CoronaVac e 60.500 doses da AstraZeneca, recebidas na última semana.

O Polo de Tangará da Serra, representado pelo Escritório Regional de Saúde, recebeu 5.420 doses de imunizantes, sendo 4.550 AstraZeneca/Fiocruz e 870 Sinovac/Butantan. Para o município de Tangará da Serra foram destinadas 1.380 doses da AstraZeneca e 390 Sinovac, totalizando 1.770 imunizantes. (Veja tabela ao lado)

A quantidade de doses que cada município recebeu foi pactuada pela Resolução n° 39 da Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT). A CIB é composta por membros do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems-MT) e da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

Conforme a Resolução, as unidades desta remessa devem ser utilizadas em trabalhadores da saúde; pessoas com idade entre 60 e 69 anos; pessoas com idade entre 85 e 89 anos; povos e comunidades tradicionais quilombolas e força de segurança, salvamento e forças armadas. Também serão comtempladas pessoas com comorbidades, puérperas e pessoas com deficiência permanente.

A aplicação em gestantes foi suspensa por orientação da Anvisa, conforme subtítulo abaixo (Gestantes). Assim, do total de vacinas Astrazeneca disponibilizado para Mato Grosso nesta remessa, 723 doses serão deduzidas, sendo 68 a dedução para a região e 29 para Tangará da Serra.

Leia mais:  Covid-19: Quatro municípios têm incidências de infecção acima de 100 por grupos de 10 mil habitantes no estado

Para a vacina CoronaVac, o prazo para a aplicação da segunda dose varia entre 14 e 28 dias; já o prazo da aplicação da segunda dose da AstraZeneca é de até 84 dias.

A Resolução também pactuou a distribuição de 2.430 doses remanescentes da vacina da AstraZeneca e 170 doses remanescentes da vacina CoronaVac, que foram recebidas em remessas anteriores e mantidas como estoque estratégico.

Caso os municípios alcancem a completa vacinação dos públicos-alvo estabelecidos para a imunização, a CIB orienta a continuidade da imunização dos demais públicos elencados pelo Ministério da Saúde.

Após a distribuição dos imunizantes, as vacinas deverão ser armazenadas conforme as condições estabelecidas pela fabricante e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e com o apoio da segurança pública.

A aplicação das doses deve ser obrigatoriamente registrada pelos municípios no Sistema Nacional do Programa de Imunização (SI-PNI), do Ministério da Saúde.

Até o momento, Mato Grosso já recebeu 1.016.080 doses de imunizantes contra a Covid-19.

Confira a seguir, em anexo, a quantidade de doses que cada município vai receber.

Gestantes

A Secretaria Municipal de Saúde comunica que suspendeu a aplicação da vacina COVID-19 da AstraZeneca/Fiocruz em mulheres gestantes. A decisão foi tomada após orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que emitiu nota técnica com recomendação de suspensão imediata do uso do imunizante em grávidas na noite desta segunda-feira, dia 10/5.

Leia mais:  Covid-19: Município contratará de quatro a seis médicos, além de enfermeiros e técnicos, diz prefeito

A Secretaria informa que o Município não tem doses das vacinas da Pfizer e CoronaVac, os outros dois imunizantes usados no país, para manter a vacinação em gestantes, e que não há previsão de quando o grupo poderá ser vacinado.

A suspensão será mantida até que ocorra uma nova orientação por meio do Programa Nacional de Imunização, do Ministério da Saúde. A decisão não atinge a vacinação das puérperas, pessoas com comorbidades e idosos.

A orientação da Anvisa é que a indicação da bula da vacina AstraZeneca seja seguida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI). A orientação é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma constante sobre as vacinas Covid em uso no país.

O uso “off label” de vacinas, ou seja, em situações não previstas na bula, só deve ser feito mediante avaliação individual por um profissional de saúde que considere os riscos e benefícios da vacina para a paciente. A bula atual da vacina contra Covid da AstraZeneca não recomenda o uso da vacina sem orientação médica.

Veja link com a Portaria CIB nº 39:

http://www.saude.mt.gov.br/upload/noticia/1/arquivo/100521180503-SES-MT-A-resoluc–807-a–771-o-cib—ad-referendum-n.-39.pdf

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana