conecte-se conosco


Saúde Pública

Covid-19: Regional de Tangará da Serra recebe hoje 5.960 doses Sinovac e AstraZeneca

Publicado

Os dez municípios de abrangência do Escritório Regional de Saúde (ERS) de Tangarás da Serra recebem nesta terça-feira 5.960 doses de vacinas contra Covid-19 das marcas Sinovac/Butantan e AstraZeneca/Fiocruz. As doses começam a ser distribuídas pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) aos municípios a partir desta terça-feira (04.05).

Das 5.960 doses, 2.325 serão destinadas para Tangará da Serra, município sede do ERS. Na tabela abaixo, a distribuição detalhada para os 10 municípios que compõem a área de abrangência do órgão estadual, com chegada das doses por meio rodoviário até o final da tarde.

A aplicação das doses seguirá o cronograma dos municípios. Por enquanto, em Tangnará da Serra, a Secretaria Municipal de Saúde realiza o cadastramento para vacinação com um estoque já disponibilizado de 1.886 doses para pessoas que apresentam comorbidades descritas como prioridade pelo Ministério da Saúde.

Logística

A Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT) aprovou resolução que estabelece a distribuição, o armazenamento e a aplicação das 102.300 doses de vacina contra a Covid-19, sendo 4.800 doses da CoronaVac, recebidas neste sábado (01.05), e 97.500 doses da AstraZeneca, recebidas na tarde desta segunda-feira (03.05).

A logística de distribuição das 102.300 doses aos municípios inicia nesta terça-feira (04.05). A CIB é composta por membros do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems-MT) e da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

Em breve, deve ser publicada outra Resolução com informações sobre a distribuição das 7.020 doses da vacina Pfizer.

A Resolução n° 33 determina que as unidades desta nova remessa sejam utilizadas como primeira e/ou segunda doses em idosos entre 60 e 69 anos, trabalhadores da saúde, pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência grave, gestantes ou puérperas, além de profissionais das Forças Armadas, de Segurança e Salvamento. O detalhamento das vacinas por público-alvo pode ser acessado no documento em anexo.

Os municípios deverão acompanhar os imunizados com a primeira dose para que esses possam receber prioritariamente a segunda dose dentro do período estipulado. Para a vacina CoronaVac, o prazo para a aplicação da segunda dose varia entre 14 e 28 dias; já o prazo da aplicação da segunda dose da AstraZeneca é de até 84 dias.

A Resolução também pactuou que 1.235 doses da vacina da AstraZeneca e 280 doses da vacina Coronavac ficarão armazenadas na Central da Rede de Frio, como estoque estratégico para a reposição de eventuais perdas técnicas.

Caso os municípios alcancem a completa vacinação dos públicos-alvo estabelecidos para a imunização, a CIB orienta a continuidade da imunização dos demais públicos elencados pelo Ministério da Saúde.

Após a distribuição dos imunizantes aos municípios, as vacinas deverão ser armazenadas conforme as condições estabelecidas pela fabricante e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e com o apoio da segurança pública.

A aplicação das doses deve ser obrigatoriamente registrada pelos municípios no Sistema Nacional do Programa de Imunização (SI-PNI), do Ministério da Saúde.

Até o momento, Mato Grosso já recebeu 940.780 doses de imunizantes contra a Covid-19.

Confira, no link abaixo a íntegra da Resolução CIB nº 33, com a quantidade de doses que cada município vai receber:

http://www.saude.mt.gov.br/upload/noticia/1/arquivo/030521200114-SES-MT-A-33-resolucao-cibmt-ad-referendum-n–33–03-05-2021-17—remessa-astrazeneca.sinovac.pdf

 

publicidade

Saúde Pública

Com URA desativada, atendimentos Covid serão nas USFs; Pacientes de UTI serão removidos

Publicado

Os pacientes com sintomas de Covid-19 em Tangará da Serra deverão procurar as unidades de saúde da família (USFs, foto topo) para atendimento, e não mais a Unidade Respiratória Ambulatorial (URA), que funcionava no Hospital Municipal Arlete Daisy Cichetti de Brito e agora está desativada.

A medida, anunciada no início da semana pela Secretaria Municipal de Saúde, atende a portaria assinada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que revoga decreto que estava em vigor desde fevereiro de 2020. Assim, fica declarado o fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) motivada pela pandemia da Covid-19 no Brasil.

Com a desativação da URA, atendimento no Hospital Municipal volta à normalidade de antes da pandemia.

Contudo, os serviços de atendimento de casos relacionados à Covid-19 não deixarão de ocorrer. “A partir de agora os atendimentos passam a ser descentralizados, com os casos leves atendidos nas USFs e os casos mais graves na Unidade de Pronto Atendimento (UPA)”, informou à imprensa local a secretária municipal de Saúde, Gicelly Zanata.

Ainda segundo a secretária, nos casos que exigirem internação do paciente em UTI, estes serão removidos para as unidades ainda mantidas pelo Estado, na região metropolitana de Cuiabá.

A desativação das unidades exclusivas para atendimentos de casos de Covid-19 ocorre em todo o país, conforme determina a mesma portaria do Ministério da Saúde. A decisão leva em consideração, também, o número de atendimentos, que hoje é de apenas 1 a 2 casos diários, em média.

Com a desativação da URA, o atendimento no Hospital Municipal volta à normalidade de antes da pandemia. “Essa entrada do Hospital Municipal volta a ser fluxo para a entrada e saída de acompanhantes, visitas dos pacientes, marcar exames para aqueles que não estão na UPA, o eletivo”, acrescenta Gicelly Zanata.

A secretária observa, ainda, que a partir de agora outras áreas serão priorizadas. “Agora nosso foco é instalar o Centro Cirúrgico e UTI, para que nosso hospital comece a fazer cirurgias, sem precisar levar pacientes para outras cidades”, conclui.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana