conecte-se conosco

Saúde Pública

Covid-19: Município acata decreto do estado com toque de recolher e comércio até às 19hs

Publicado

O município de Tangará da Serra acatou praticamente na íntegra o decreto do governo estadual com medidas para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus.

O decreto 836/2021 foi assinado pelo governador Mauro Mendes e já publicado no Diário Oficial do Estado nesta segunda-feira (01.03), após reunião com os poderes, instituições e prefeitos dos 141 municípios, e passa a valer a partir de quarta-feira (03).

Em Tangará da Serra, o prefeito Vander Masson ainda discute com sua equipe de gestão o conteúdo do decreto do município, mas a tendência é que ratificará as medidas determinadas pela esfera estadual de governo, que poderão ser prorrogadas, endurecidas ou flexibilizadas, conforme o resultado obtido.

De acordo com o superintendente de governo da administração do município, Allyson Rodrigues Vargas, ainda há alguns aspectos vagos no decreto estadual que precisam de melhor compreensão. “Tem a questão da multa (por descumprimento das normas), por exemplo, que ainda será preciso quantificar”, disse, em contato com o Enfoque Business.

Adequações a parte, ao menos já existe algumas definições.

Leia mais:  COVID-19: Ranking em Mato Grosso mostra maior incidência da doença nos municípios do interior

Confira as novas medidas que constam no decreto, conforme adiantado pelo Enfoque Business na data de hoje, logo após o meio-dia:

– De segunda à sexta, proibição de todas as atividades econômicas das 19h às 5h. Aos sábados, a proibição será após o meio-dia. Nos domingos, nenhuma atividade será permitida. A exceção fica por conta das farmácias, serviços de saúde, funerárias, postos de gasolina (exceto conveniências) e indústrias.

– Nos horários permitidos, as atividades econômicas deverão respeitar as medidas de segurança, como o uso de máscara, distanciamento e limitação de 50% da capacidade máxima do local.

– Os serviços de entrega por delivery seguem autorizados até às 22h.

– O transporte coletivo e congêneres (Uber, 99, etc) podem funcionar normalmente.

– Toque de recolher a partir das 21h até às 5h, com proibição de circulação.

– Será redigido projeto de lei que prevê multa (valor sugerido de R$ 180,00) a pessoas físicas e às empresas que descumprirem as normas, bem como notificação à Polícia Civil e Ministério Público.

Leia mais:  Johnson & Johnson anuncia potencial vacina para a Covid-19, com testes ainda este ano

– Nos órgãos públicos estaduais, fica suspenso o atendimento presencial em todas as secretarias e órgãos do governo, com exceção das unidades finalísticas. Quanto a jornada de trabalho, cada secretaria/autarquia vai disciplinar medidas para redução do fluxo de pessoas.

Outras medidas incluem limite de apenas uma pessoa por família nas compras em supermercados e transporte coletivo autorizado, assim como uber e táxi.

Nas escolas, dado o compromisso geral das escolas na adoção de protocolos de segurança, a autorização para o funcionamento permanece, dentro das limitações de horário impostas às demais atividades.

A Polícia Militar estará autorizada a dispersar aglomerações, incluindo em bares.

As medidas valem por 15 dias e poderão ser relaxadas ou intensificadas de acordo com e evolução do cenário.

publicidade

Saúde Pública

Mendes diz que todos acima de 30 anos poderão ser vacinados se Anvisa aprovar Sputnik V

Publicado

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que se a vacina Sputnik V for aprovada pela Anvisa, e as 1,2 milhão de doses compradas ficarem em Mato Grosso, poderão ser vacinados todos os mato-grossenses com mais de 30 anos de idade em apenas quatro meses. Mendes ainda disse que o Programa Nacional de Imunização (PNI) não tem cumprido os contratos e há um “cheiro” de diminuição de chegada de vacinas Coronavac e Astrazeneca nas próximas semanas.

Recentemente, Mauro participou de uma reunião na Anvisa, mas ficou frustrado com o resultado, que não foi efetivo. A compra das doses da Sputnik V deve ser feita por meio do Consórcio da Amazônia e, no total, seriam 37 milhões de doses para o Brasil. Estas doses ficam nos estados apenas se o Governo Federal não pagar pelas vacinas. Outra diferença em relação à Coronavac e à Astrazeneca se dá na própria forma da vacina, visto que ela é feita de adenovírus e tem dois componentes. Desta forma, as 1 milhão e 200 mil doses que chegariam a MT poderiam imunizar 1,2 milhão de pessoas.

“O Maranhão já entrou no Supremo, o Supremo deu aquela decisão dizendo que até dia 28 se a Anvisa não liberar, estará automaticamente liberado. Nós vamos aderir a essa liminar se for preciso, mas nós acreditamos que é possível cumprir aquilo que a Anvisa deseja e é necessário. Essa vacina, está amplamente divulgado na mídia, já tem 52 países que está usando, as pesquisas mostram que ela tem um dos maiores índices de eficiência de todas as vacinas, então não teria porque, mas a gente acredita que o bom senso vai imperar e vai ser liberado, são 37 milhões de vacinas”, afirmou Mauro.

Leia mais:  Com 1.449 notificações, Tangará da Serra figura entre os municípios com alto risco de dengue

“Então imagine isso em Mato Grosso? A gente vacina até 30 anos de idade, praticamente todo mundo. Rapidamente. Estava programado uma entrega de 4 milhões em abril, depois em maio, junho e julho, em quatro meses chegaria isso, 37 milhões de brasileiros seriam vacinados, porque ela trabalha com adenovírus, então primeiro componente é o adenovírus 26 e o segundo componente é o adenovírus 5, não é igual a Coronavac que é duas doses da mesma vacina. São dois componentes. Você toma o primeiro e depois toma o segundo, então compramos 1 milhão e 200 mil doses do componente A e B, então é para 1 milhão e 200 mil pessoas”, completou o governador.

Atraso no PNI

Se com a Sputnik a vacinação seria rápida e para diversas faixas etárias, por outro lado Mauro se mostrou preocupado com a entrega da Coronavac e a Astrazeneca, especialmente esta última. “Mês passado não foi cumprido aquilo que estava programado. O Butantan cumpriu o que estava programado, a Fiocruz não cumpriu, esse mês o Butantan encerra o primeiro contrato que era de 46 milhões de doses, daí deve começar o outro contrato, mas era para o segundo semestre, então está no ar um cheiro de redução de chegada de vacinas pelo PNI”, lamentou.

Leia mais:  Johnson & Johnson anuncia potencial vacina para a Covid-19, com testes ainda este ano

“Aquilo que estava programado pelas outras não aconteceu, da Covax Facility, então as informações não são oficiais, mês passado furou, nesse mês estamos muito na mão da Friocruz, porque ela que seria a grande entregadora, deveria ser a grande entregadora esse mês da Astrazeneca, mas de prático na semana passada chegou 50 e poucas mil doses novas aqui em Mato Grosso”, finalizou o governador.

(Fonte: Folha Max/Notícia dos Municípios)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana