conecte-se conosco


Saúde Pública

Covid-19: Fiscalização, monitoramento e vacinação diminuíram índices em Tangará da Serra

Publicado

A pandemia do novo coronavírus continua e as novas variantes registradas em todo o país (inclusive em Mato Grosso) mantém o alto risco da doença que já levou a óbito 534 mil pessoas no Brasil e mais de 12 mil em Mato Grosso.

Ou seja: os cuidados com higienização, uso de máscaras, distanciamento e outros protocolos de prevenção precisam ser mantidos. Mas os índices da pandemia estão em queda.

Em Tangará da Serra, os índices de julho (até ontem, dia 12) mostram curvas de declínio em comparação ao mês passado. Em junho, a média diária de casos ativos (pacientes em isolamento e internados) foi de 292, enquanto a mesma média deste mês de julho é de 173, um percentual 40% a menor, conforme matéria publicada ontem pelo Enfoque Business.

A taxa de crescimento de contaminação (TCC) também está em queda de junho para julho (19,3% contra 12,2%), o mesmo acontecendo com os óbitos (média diária de 1 contra 0,6) e de internações, tanto em UTI’s (87% contra 70% no sistema público) como em enfermaria (65% contra 27%).

Três fatores

Leia mais:  Dengue: Tangará da Serra com risco baixo e grande declínio ante 2020; MT sob alto risco

Segundo a secretária municipal de Saúde, Gicelly Zanata, a queda nos índices da pandemia em Tangará da Serra se deve a três fatores: fiscalização, monitoramento e vacinação.

Gicelly Zanata: “Independente de melhora de quadro, ainda estamos na pandemia, ainda temos variantes encontradas no Brasil e isso é o que nos preocupa”.

A secretária destaca que os decretos com medidas restritivas baixados pelo Executivo Municipal influenciaram na queda dos índices de transmissão, assim como as campanhas de conscientização e o monitoramento de pacientes que contraíram a doença. “A visita in loco para monitoramento dos pacientes com Covid foi importante. Tínhamos muitas denúncias de que pacientes com a doença não estavam cumprindo o isolamento como deveriam. Com as visitas, as pessoas entenderam que tinham de realmente manter o isolamento”, relatou.

A vacinação, de acordo com Gicelly Zanata, é outro fator de contenção do avanço da pandemia. Com os imunizantes, as internações – especialmente de idosos – diminuíram. A tendência lógica, portanto, é de que a contaminação cederá à medida em que aumentar o número de pessoas vacinadas.

Contudo, a titular da Secretaria Municipal de Saúde diz que a população deve assimilar de vez a ideia de que a pandemia persiste e que os cuidados devem ser mantidos. “Independente de melhora de quadro, ainda estamos na pandemia, ainda temos variantes encontradas no Brasil e isso é o que nos  preocupa. É preciso manter os cuidados, a higienização, o uso de máscara e evitar aglomerações”, alertou.

Leia mais:  Redução da ajuda federal será de quase R$ 30 milhões para região polarizada por Tangará da Serra

16 dias em queda

Ontem (segunda, 12), o Brasil registrou 765 mortes por Covid-19 nas 24 horas anteriores, totalizando 534.311 óbitos desde o início da pandemia. O número acumulado de casos confirmados no país, até ontem, era de 19.105.008.

A média móvel de mortes nos últimos 7 dias chegou a 1.297. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -19% e aponta tendência de queda, acumulando o 16º dia seguido de declínio nesse comparativo.

Em Mato Grosso, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), a queda nos índices da pandemia é verificada principalmente pela redução do número de internações decorrentes da Covid-19. (Veja gráfico, na sequência)

Em março, as internações somavam 7.148 em enfermaria e 1.951 em UTI, enquanto o mês de junho fechou em 4.990 internados em enfermaria e 1.327 em UTI. Em julho, até ontem (12.07), os internados somavam 1.684, sendo 1.380 em enfermaria e 304 em UTI.

publicidade

Saúde Pública

Covid-19: Tangará e municípios vizinhos somam 2,5 mil casos ativos; Prefeito testa positivo

Publicado

O alto potencial de transmissão da variante ômicron do coronavírus tem representado altos números na pandemia da Covid-19 em Tangará da Serra e região anexa.

Levantamento realizado pelo Enfoque Business com base em dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) considera os números da pandemia em 13 municípios na região polarizada por Tangará da Serra, que soma 52.030 casos confirmados de Covid-19, com 895 óbitos, desde o primeiro registro da doença, em março de 2020.

Este número aponta que, na área avaliada (296.566 habitantes), 17,54% dos moradores já contraíram a doença.

Dos pacientes positivados desde o início da pandemia na região, 48.656 se recuperaram, o que significa um índice de cura de 93,52%. O índice de recuperação mais alto entre os municípios avaliados é de Tangará da Serra (96,07%), enquanto o menor índice é de Porto Estrela (73,34%).

(*) Veja tabela a seguir:

Neste universo, os casos confirmados de Covid-19 entre o dia 1º de janeiro e ontem (24/01) somaram 5.710. Destes, 2.549 estão ativos, com 164 pacientes internados. Tangará da Serra tem 100% dos leitos de UTIs ocupados e já extrapolou em 20% os de enfermaria.

Leia mais:  Dengue: Tangará da Serra com risco baixo e grande declínio ante 2020; MT sob alto risco

A média de crescimento de casos no período de referência é de 12,3%, com os quatro maiores percentuais verificados em Porto Estrela (35,49%), Nova Marilândia (32,22%), Denise (29,71%) e Barra do Bugres (24,84%).

Os menores percentuais de novos casos entre o dia 1º e o dia 24 deste mês estão em Nova Olímpia (0,81%), Alto Paraguai (1,72%), Sapezal (7,73%) e Tangará da Serra (8,65%).

Prefeito em tratamento

O prefeito de Tangará da Serra, Vander Masson (PSDB), testou positivo para Covid-19. Ele realizou o teste no domingo (24), quando teve os sintomas. Vander informou à redação que “está tudo sob controle”, seguindo à risca o tratamento.

No Estado

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta segunda-feira (24.01), 601.453 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 14.205 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Dos 601.453 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 25.649 estão em isolamento domiciliar e 560.639 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 179 internações em UTIs públicas e 192 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 82,8% para UTIs adulto e em 42% para enfermaria adulta.

Leia mais:  Covid-19: Tangará e Diamantino figuram entre os 19 municípios em risco muito alto de contaminação

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (117.124), Várzea Grande (44.652), Rondonópolis (39.573), Sinop (28.292), Tangará da Serra (19.623), Sorriso (18.797), Lucas do Rio Verde (17.288), Primavera do Leste (16.600), Cáceres (13.552) e Alta Floresta (12.083).

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana