conecte-se conosco


Cidades & Geral

Covid-19: Ensino híbrido é suspenso em Tangará da Serra e nos municípios com risco muito alto

Publicado

A pandemia Covid-19 segue afetando duramente o ensino, tanto público como particular, em Tangará da Serra e em todo o estado de Mato Grosso.

Este será um dos assuntos a serem abordados em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (28, 09h30) pelo prefeito Vander Masson e pelo secretário municipal de Educação, Vagner Constantino Guimarães. Segundo anunciado pela assessoria do município, a coletiva tratará sobre o Calendário Escolar de 2021 e outras informações pertinentes às aulas.

Vander e Vagner concedem entrevista nesta sexta-feira para falar sobre calendário escolar e impactos da pandemia no ensino local.

Nota Técnica

Ontem à tarde, o governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), emitiu Nota Técnica esclarecendo que as unidades de ensino devem seguir as recomendações sanitárias vigentes no município onde estão localizadas para a volta das aulas no sistema híbrido. (Link com Íntegra da NT ao final do texto)

A Nota Técnica – elaborada conjuntamente pela Seduc-MT e pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) – estabelece todas as diretrizes a serem seguidas, considerando a situação epidemiológica de cada município.

Leia mais:  Consumidores terão desconto retroativo de 66,66% nas faturas de água por desabastecimento

No caso de Tangará da Serra, que se encontra sob risco ‘Muito Alto’ de contaminação (TCC de 23%), já há medidas mais restritivas expressas em decreto (231/2021). Então, assim como em outros municípios sob risco ‘Muito Alto’, as aulas não devem ser retomadas na modalidade híbrida ou, se já retomadas, devem ser suspensas no caso de agravamento da situação epidemiológica.

Aulas

Os dados sobre a pandemia da Covid-19 de cada município estão disponíveis no PAINEL INTERATIVO COVID-19 de Mato Grosso, no site oficial da Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso. Os números da pandemia em Tangará da Serra constam nos boletins diários emitidos pelo Comitê Interinstitucional de Prevenção e Monitoramento ao Coronavírus.

A Seduc reforça que a decisão do retorno seguro às aulas compreende o engajamento de vários atores, dividindo as responsabilidades entre os gestores da saúde e educação a nível estadual, municipal e escolar.

Leia a íntegra da Nota Técnica no anexo abaixo.

http://www.mt.gov.br/documents/8125245/0/NOTA+T%C3%89CNICA+CONJUNTA+SES-SEDUC-MT+N%C2%BA+001-2021+-+ASSINADA/97c42deb-5ccc-2a8d-544b-9f7da0fa1359

(Redação EB, com Secom-MT)

Leia mais:  INDEA: MT tem ao menos 10 relatos de sementes suspeitas enviadas da Ásia; Um caso em Santo Afonso
publicidade

Cidades & Geral

Dia de Feira: Rica em água e complexo B, melancia é boa pedida para qualquer hora

Publicado

Quarta-feira, como de costume, é dia de feira em Tangará da Serra. A Feira do Produtor do Centro começa a atender a partir das 06h00, oferecendo o melhor da agricultura familiar.

No setor de hortifrutis, a Feira oferece grande variedade e fartura, com qualidade reconhecida e preços populares.

Nesta época do ano, a melancia é um dos destaques na Feira do Centro. Fruta rasteira em razão do seu peso e tamanho, a melancia é originária da África e é da mesma família do pepino, da abóbora e do melão.

Além do alto teor de água, a melancia contém açúcar, vitaminas do complexo B e sais minerais.

A polpa vermelha, doce, com alto de teor de água, é uma divertida e aprazível alternativa alimentar, ao natural ou na forma de suco, para qualquer hora do dia. Vai bem no café da manhã, no almoço, no lanche da tarde, ou à noite. “Difícil encontrar alguém que não goste de melancia”, observa o presidente da Associação dos Feirantes, Valdeci Ferraz Aquino.

Leia mais:  Caminhoneiros: APCTTS diz que greve é improvável em razão da safra e da pandemia

Além do alto teor de água, a melancia contém açúcar, vitaminas do complexo B e sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.

Quem vende?

É fácil encontrar a melancia na Feira do Centro. No interior do maior mercado público de Mato Grosso, com uma rápida olhada é possível detectar a presença do grande fruto.

No box 59-C, do Roberto, a fruta ofertada é produzida na região do Joaquim do Boche. Já no box 53-C, Luiz Carlos oferece frutos que vem do Rio grande do Sul. Nos boxes 19 e 20-C, Leonilda oferece melancia vinda de São Paulo, Goiás e Tocantins, enquanto Dª Zeti, que é da região do Vale do Sol, comercializa o alimento no box 30-A.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana