conecte-se conosco


Saúde Pública

Covid-19: Altas da contaminação e de casos ativos aproximam lockdown; UTIs 100% ocupadas

Publicado

Segue a escalada da pandemia do novo coronavírus em Tangará da Serra, que poderá sofrer lockdown se os índices relacionados à Covid-19 não forem reduzidos.

O município divulgou na manhã desta segunda-feira (31) boletim epidemiológico indicando altas em todos os parâmetros da epidemia, com aumento nas taxas de contaminação e de internações, nos novos registros de Covid-19, nos casos ativos, na procura de pacientes sintomáticos e, também, nos óbitos.

Agressividade

O aumento dos índices da pandemia segue uma curva ascendente que demonstra a agressividade da Covid-19. A Taxa de Crescimento de Contaminação (TCC) cresceu 0,9 ponto percentual desde o último dia 27. De lá para cá, a TCC subiu dos 23% para 24,9%.

A alta na TCC indica que a cidade se aproxima do lockdown já na próxima semana, caso esse índice não sofrer redução em 5,9 pontos percentuais – dos atuais 23,9% para 18%. – até o próximo dia 08.

Segundo boletim epidemiológico divulgado hoje, os testes positivos em pacientes também aumentaram, passando de 30 na última quarta-feira (26) para 57 ontem, 73 na sexta-feira e 90 nesta segunda-feira.

Leia mais:  Nascidos até 1981 serão vacinados contra COVID-19 nesta terça e quarta no Centro Cultural

Números

O boletim também revela que o município acumula 13.836 casos desde o primeiro caso registrado, em abril do ano passado. Deste contingente, 13.136 pacientes alcançaram a recuperação, perfazendo uma taxa de cura de 94,9%. (Veja boletim atualizado ao final do texto)

Desde o último sábado (29), foram registrados 104 novos casos. Os casos ativos somam 418 (gráfico abaixo), com 356 pacientes em isolamento domiciliar e 62 internados.

No mesmo período, 433 pessoas procuraram a unidade respiratória ambulatorial (URA) do hospital municipal alegando sentirem sintomas de Covid-19.

Os leitos 13 de UTI pública estão 100% ocupados, o mesmo acontecendo com as UTIs privadas (todos os 20 leitos disponíveis estão ocupados). Nos leitos de enfermaria, 22 das 27 unidades disponíveis estão ocupadas (81,48%).

Médias

Índice mais preocupante da pandemia, o número de óbitos é de 282 desde o início da pandemia, o que representa a ocorrência de 61 fatalidades somente neste mês de maio, perfazendo uma média de praticamente duas fatalidades/dia, o dobro da média diária de mortos pela pandemia do mês anterior.

Leia mais:  COVID-19: Tangará da Serra descarta 75% das notificações; MT tem cura em 27% dos infectados

Já a média diária de casos ativos neste mês de maio é de 244, um número 135% maior que a média diária de 104 registrada em abril.

A ocorrência de novos casos também aumentou mais que o dobro este mês. Enquanto em abril a média diária foi de 45 novos casos, neste mês em maio esta média já é o dobro, com 94 casos novos a cada dia, um índice 109% maior.

Entre os casos suspeitos de contaminação, a média diária de pacientes que procuram a URA é de 301 em maio, contra 206 em abril, o que significa uma média diária de procura 46% maior em relação ao mês anterior.

Quanto à ocupação dos leitos de unidades de terapia intensiva e de enfermarias, as taxas médias de ocupação neste mês de maio são de 99,6% entre as UTIs públicas; 76,43% entre as UTIs privadas; e 83,44% entre os leitos de enfermaria públicos.

 

publicidade

Saúde Pública

Vacina Covid-19: ERS Tangará recebe 1.700 doses pediátricas; Esquema vacinal é diferenciado

Publicado

O Escritório Regional de Saúde (ERS) de Tangará da Serra recebeu no último sábado uma remessa de 1.700 doses de vacinas contra a Covid-19, da Pfizer, para aplicação em crianças de 05 a 11 anos.

As doses pediátricas chegaram por volta das 15h30, via terrestre, e serão distribuídas aos 10 municípios da região de abrangência do ERS já a partir desta segunda-feira (17). O ERS apenas aguarda o recebimento da resolução de distribuição para disponibilizar os lotes aos municípios.

Esquema diferenciado

Mato Grosso recebeu do Ministério da Saúde na última sexta-feira 23 mil doses de vacinas pediátricas contra Covid-19. A primeira remessa é da Pfizer (Comirnaty).

De acordo com as recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a vacinação desse público precisa ser realizada em ambiente específico e segregado da vacinação de adultos.

Outra recomendação é que a sala em que se dará a aplicação em crianças seja exclusiva para a aplicação dessa vacina; não se podendo aplicar outras vacinas, ainda que pediátricas. A vacina contra Covid-19 não pode ser administrada de forma concomitante a outras vacinas do calendário infantil, precisando respeitar um intervalo de 15 dias.

Leia mais:  Sindjor pede inclusão de jornalistas da linha de frente no grupo prioritário; Profissionais podem ser vetores

O esquema vacinal para crianças terá o intervalo de oito semanas. O imunizante tem dosagem e composição diferentes da que é utilizada na dose para os maiores de 12 anos. A vacina para crianças será aplicada em duas doses de 0,2 mL (equivalente a 10 microgramas). A tampa do frasco da vacina virá na cor laranja, para facilitar a identificação pelas equipes de vacinação e também pelos pais, mães e cuidadores que levarão as crianças para serem vacinadas.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana