conecte-se conosco

Saúde Pública

Covid-19: Agravamento da pandemia, insuficiência de leitos e aumento de óbitos motivam novas restrições

Publicado

O avanço da pandemia do novo coronavírus motivou novas medidas do poder público com o objetivo de conter o aumento dos índices da doença em Tangará da Serra. O anúncio das novas medidas ocorreu ontem à tarde (quarta,13), em coletiva concedida pelo prefeito Vander Masson (PSDB, foto acima)

A pandemia tem registrado aumento de novos casos e, por consequência, dos casos ativos. Também tem provocado lotação dos leitos e, mais grave, aumento do número de óbitos. (Veja, abaixo, quadro dos casos ativos em janeiro)

De acordo com o boletim epidemiológico de ontem (quarta, 13), Tangará da Serra soma 8.591 casos acumulados desde o início da pandemia. Os casos ativos somam 189 (144 pacientes em isolamento e 45 internados).  (Veja boletim ao final do texto)

As 13 UTIs exclusivas para Covid-19 estão lotadas, enquanto os leitos de enfermaria têm ocupação de 70%. As fatalidades relacionadas à doença correspondem a 117 óbitos, 15 deles somente neste mês de janeiro. (Veja, abaixo, evolução do número de óbitos em janeiro)

Diante desse quadro, o poder público voltou a adotar medidas, desta vez mais severas. Depois de decretar a volta do toque de recolher diário entre as 22hs e as 05hs, o prefeito Vander Masson anunciou restrições a eventos e atividades esportivas, além de determinação de protocolos de prevenção nas escolas municipais.

Leia mais:  Tangará da Serra: Sem novos casos confirmados de COVID-19, município descarta 85% das notificações

As medidas constarão em novo decreto a ser divulgado ainda nesta quinta-feira (14), revogando o decreto 169, de 24 de abril de 2020, que já continha as medidas restritivas.

Restrições

Os eventos corporativos, institucionais, festivos e de entretenimento seguem permitidos, porém, com exigência de comunicados à Vigilância Epidemiológica de até 15 dias antes da realização, restrições de 50% da capacidade de lotação dos locais com presença máxima de 100 pessoas e observância dos protocolos de assepsia, distanciamento e demais procedimentos de prevenção.

Quanto às atividades esportivas, ficam proibidas as competições (torneios e afins), mas seguem permitidas a prática esportiva amadora, sem presença de público e proibição de aglomerações.

Os protocolos de assepsia, distanciamento e demais procedimentos de prevenção também serão exigidos nas escolas da rede municipal, cujas aulas presenciais voltam a ser permitidas.

Preocupação

O novo decreto ainda não foi divulgado, estando ainda em redação. Durante coletiva de imprensa na tarde de ontem (quarta,13) o prefeito Vander Masson comentou sobre as aglomerações registradas em frente aos bares e nas vias públicas da cidade, principalmente nas calçadas e canteiro central na região dos altos da Avenida Brasil.

Leia mais:  Coronavírus: Novo balanço do Ministério da Saúde aponta 2.433 casos e 57 óbitos

Ele explicou que a Fiscalização tem atuado de três formas: primeiro, orientando as pessoas e comerciantes; depois, em caso de reincidência, notificando e, por último, em caso de nova reincidência, interditando os locais.

Questionado sobre a possibilidade de atuação da Polícia Militar nos casos de aglomeração, Vander explicou que já há uma parceria com a PM para fiscalizar e conter as aglomerações e outras atitudes de desrespeito às normas de biossegurança. “A Polícia Militar está à disposição da ordem pública para casos em que seja necessário, é nossa parceira, de forma orientativa, tranquila, com objetivo de orientar, de conscientizar as pessoas”, comentou.

Endurecimento

O prefeito Vander Masson afirmou ainda, durante a coletiva, que não pretende endurecer as medidas restritivas, porém, não havendo apoio e colaboração popular, o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus poderá adotar regras mais rígidas.

“Estamos tomando medidas de restrição, mas não é nosso objetivo impedir ninguém de exercer suas atividades, a gente pensa nisso”, falou, explicando que o Município está atuando para preservar a vida dos cidadãos sem comprometer seus meios de sobrevivência no que se refere a trabalho e atividades econômicas e financeiras.

publicidade

Saúde Pública

Covid-19: Decreto estadual estabelece novas medidas restritivas e de prevenção em Mato Grosso

Publicado

O Governo de Mato Grosso editou decreto com novas medidas para prevenção e avanço do contágio da covid-19 no estado, tendo em vista o aumento da média móvel de casos, internações hospitalares e óbitos.

As novas regras, assinadas pelo governador Mauro Mendes (foto), deverão ser publicadas ainda nesta terça-feira (19.01) no Diário Oficial do Estado.

De acordo com o decreto, pelos próximos 45 dias fica proibida a realização de eventos sociais, festas, shows, atividades em casas noturnas e confraternizações com mais de 100 pessoas em espaços privados ou públicos, “inclusive o uso de logradouros públicos, onde haja aglomeração e consumo de bebidas alcoólicas”.

Já os eventos corporativos (organizados por instituições públicas ou privadas) devem respeitar as regras sanitárias e distanciamento social previstas no Decreto 522, de 12 de junho de 2020, a exemplo do distanciamento mínimo de 1,5m e uso de máscaras.

Quanto às atividades em bares, restaurantes e congêneres, está permitida a realização desde que com o máximo de 50% da capacidade do local, “tendo como base o metro quadrado e o espaçamento de 1,5m (um metro e meio) entre as mesas/assentos”.

Leia mais:  Covid-19: Região soma 2.264 casos e 1.513 recuperados; Campos de Júlio, Sapezal e Tangará têm as maiores incidências e curas

“Os prefeitos municipais deverão obrigatoriamente adotar as medidas estabelecidas neste Decreto ou outras mais restritivas, sob pena de responder pelas eventuais consequências de seus atos”, afirma trecho do decreto.

O documento autoriza as forças de Segurança do Estado de Mato Grosso a tomar todas as ações necessárias para fazer cumprir as novas medidas e, também, “possíveis normas municipais mais rígidas e/ou restritivas”.

Servidores

Ainda no decreto está previsto que, em casos excepcionais, poderá ser feito o regime de revezamento de trabalho aos servidores dos órgãos públicos estaduais (não se aplicando aos terceirizados).

O revezamento excepcional deve obedecer aos critérios de permanência mínima de dois terços do quantitativo de servidores em trabalho presencial, mediante escala de revezamento a ser estabelecida pela chefia imediata; e, também, a compatibilidade das atividades exercidas pelo servidor com o regime de teletrabalho, “ainda que estas sejam oriundas de unidade administrativa diversa daquela em que o servidor está lotado”.

“A autoridade máxima do órgão ou entidade estadual poderá promover ajustes quanto à aplicação das regras de revezamento presencial e teletrabalho, conforme suas respectivas necessidades, ou para fins de garantir a preservação do funcionamento dos serviços considerados essenciais e prioritários”, afirma o decreto.

Leia mais:  ÚLTIMA HORA: Tangará da Serra tem um paciente com suspeita de coronavírus internado em ENFERMARIA

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana