conecte-se conosco


Cidades & Geral

Comitê Interdisciplinar define planejamento para enfrentar crise hídrica a partir de janeiro

Publicado

Criado pelo prefeito eleito Vander Masson, o Comitê Interdisciplinar – destinado a buscar soluções para os problemas no setor de saneamento de Tangará da Serra – esteve reunido na tarde de ontem (segunda, 07) na sala de reuniões da ACITS para definir as estratégias para 2021.

Presidida pelo próprio Vander Masson, a reunião contou com presenças de membros da equipe de transição, representantes do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE), SINFRA, SEFAZ, Câmara Municipal, Conselho Gestor do Meio Ambiente, UNEMAT, Ministério Público e representantes da sociedade civil.

Planejamento de Vander Masson inclui ações para curto, médio e longo prazos.

Na reunião foi definido um planejamento com ações de curto, médio e longo prazos. As ações imediatas (a curto prazo) consistirão na perfuração de novos poços artesianos profundos, construção de três represas no rio Russo e uma no córrego Estaca.

Outras medidas de curto prazo serão a limpeza da nascente do rio Queima Pé, limpeza e desassoreamento das represas da Estação de Captação, Tratamento e Distribuição de Água (ETA Queima Pé) e, também, implantação de drenos para infiltração de água no subsolo e alimentação do lençol freático.

Leia mais:  Barra do Bugres: PM apreende 550 kg de pescado irregular com provável origem em área indígena

A médio prazo, haverá trabalhos voltados à preservação de mananciais e de matas ciliares e readequação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).

Sistema Sepotuba

A longo prazo, o destaque das ações fica por conta da viabilização do sistema Sepotuba, cujo projeto, apesar de já licitado, está suspenso por determinação da Justiça.

O novo gestor quer rediscutir o projeto, avaliando os materiais mais indicados, o melhor trajeto da adutora e outros detalhes técnicos e operacionais.

Sistema Sepotuba: Suspenso pela Justiça, projeto será reavaliado pela equipe da gestão que assume em 01 de janeiro.

Segundo o representante do SAMAE presente na reunião, Marcel Berteges, o projeto já licitado contempla a utilização de adutora em ferro fundido por ser considerado o material ideal, conforme parecer técnico do engenheiro responsável.

Quanto ao ponto de captação e trajeto, foram escolhidos por serem considerados de menor impacto ambiental (menos desmate, conforme parecer da Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT) e com menor necessidade de processos de desapropriação.

Segundo Vander Masson, serão solicitados pareceres sobre estas questões junto ao Comitê da Bacia Hidrográfica do rio Sepotuba (CBH Sepotuba), CREA e Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Tangará da Serra (AEATS). “Queremos apresentar uma posição já na reunião do dia 16”, disse, referindo-se à audiência de conciliação no fórum da comarca local para deliberar sobre o projeto.

Leia mais:  Depois de prender 14, PM localiza veículo com defensivos roubados em Tangará da Serra

A próxima reunião do Comitê Interdisciplinar ocorrerá em data a ser agendada.

publicidade

Cidades & Geral

Barra do Bugres: Maternidade tem recursos de R$ 500 mil, com obras previstas para março

Publicado

As obras da maternidade pública de Barra do Bugres deverão iniciar no mês de março. Ao menos é esta a expectativa após o anúncio de uma verba do Estado, no valor de R$ 500 mil, que será assegurada através de emenda parlamentar.

A emenda parlamentar foi anunciada pelo deputado estadual Paulo Araújo (PP) durante reunião no auditório da Câmara Municipal com a prefeita de Barra do Bugres, Maria Azenilda Pereira (MDB), vereadores e secretários. Também participaram da reunião o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Marcos Aurélio da Silva, e o presidente da Associação Comercial e Industrial de Barra do Bugres (ACIBB), Iandro Almicci.

A pauta da reunião foi a construção da maternidade de Barra do Bugres. O município, que não conta com nenhum hospital público ou privado, se obriga a encaminhar gestantes para partos em maternidade no município vizinho de Arenápolis, o que significa, também, aumento de custos.

Segundo o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Marcos Aurélio da Silva, o projeto da obra já está em análise para que as obras tenham início o mais rápido possível, já que se trata de uma demanda urgente do município.

Leia mais:  Para enfrentar estiagem, município decreta emergência com medidas a partir do dia 1º

Segundo informações do município, em se confirmando o depósito dos recursos prometidos pelo deputado, as obras terão início já em março próximo.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana