conecte-se conosco


Economia & Mercado

Combustíveis tem duas reduções de preços em uma semana, mas apenas uma vigora nas bombas

Publicado

Os preços da gasolina e do óleo diesel sofreram duas reduções nas refinarias nos últimos sete dias, mas apenas uma delas está valendo nas bombas a partir desta sexta-feira (26).

Segundo consulta do Enfoque Business junto aos postos de combustíveis, as reduções – assim como as majorações – são orientadas pelas distribuidoras.

A primeira redução no espaço de uma semana foi anunciada pela Petrobras na sexta-feira da semana passada (19), dando conta de que haveria uma baixa de 4% nos preços da gasolina junto às refinarias.

Na última quarta-feira, outra redução foi anunciada pela Petrobras. Desta vez, os preços do litro da gasolina e do óleo diesel ficaram R$ 0,11 mais baratos, a contar de ontem (sexta, 25) nas refinarias da Petrobras. Com isso, o litro da gasolina está sendo vendido a R$ 2,59 para as distribuidoras (uma queda de 4,1%).

Já o óleo diesel está sendo comercializado nas refinarias pelo valor de R$ 2,75 por litro (uma queda de 3,8% no preço anterior).

Leia mais:  Crédito: FCO tem R$ 546,8 milhões para empresários e produtores rurais de Mato Grosso

Sem efeito

Nos postos, porém, as reduções nas refinarias não surtiram efeito. A primeira redução na gasolina, por exemplo, anunciada no dia 19, até ontem ainda não havia sido repassada no preço final válido para o consumidor.

Segundo postos de combustíveis, tanto as reduções como as majorações são orientadas pelas distribuidoras.

Segundo apurado pelo Enfoque Business, num dos postos a redução foi de apenas R$ 0,02 (preço final de R$ 5,39) em relação ao preço de R$ 5,41/litro cobrado desde antes do anúncio de redução, no dia 19. Noutro posto, o preço da gasolina, que até então custava R$ 5,79, custa hoje R$ 5,59.

Um terceiro posto consultado pelo Enfoque Business (que até ontem vendia o litro da gasolina a R$ 5,54) informou que o preço do combustível ainda não fora reduzido porque a nova aquisição, com o novo e reduzido preço, ainda não chegara aos estoques do estabelecimento.

Resumindo, hoje a gasolina custa ao consumidor de Tangará da Serra entre R$ 5,39 e R$ 5,59. O diesel, por sua vez custa entre R$ 4,59 a R$ 4,66 (S-10) e R$ 4,53 a R$ 4,60 (comum). Já o etanol varia nos postos de R$ 3,96 a R$ 3,99.

Leia mais:  Crédito: FCO tem R$ 546,8 milhões para empresários e produtores rurais de Mato Grosso

Estranho

Esses preços registram apenas uma das duas reduções anunciadas pela Petrobras no espaço de uma semana. A explicação dos postos está na orientação das distribuidoras.

Causa estranheza a política de preços imposta pelas distribuidoras aos postos de combustíveis e, consequentemente, ao consumidor. Nos casos em que há majoração, os novos preços são imediatamente aplicados sem o argumento de que ‘o combustível adquirido, com a nota contendo o preço atualizado, ainda não chegou’. Já nas reduções, os novos preços levam dias para se apresentarem nas bombas, sendo que nem sempre são praticados, como aconteceu nesta última semana.

publicidade

Economia & Mercado

Crédito: FCO tem R$ 546,8 milhões para empresários e produtores rurais de Mato Grosso

Publicado

O Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso (Codem) aprovou R$ 546,8 milhões em linhas de crédito para empresários e produtores rurais do Estado, por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro Oeste (FCO). O aporte financeiro deve criar 6.366 empregos diretos e indiretos nos setores rural e empresarial mato-grossense.

Ao todo foram deferidas 93 cartas-consulta para as duas modalidades. O FCO Rural teve 75 projetos validados que somaram R$ 307,2 milhões em crédito, valor que será responsável pela criação de 2.892 empregos diretos e indiretos. A modalidade teve 75 projetos habilitados, sendo 17 para pequenos produtores, 17 para pequenos-médios produtores, 32 para médios produtores, 3 para médios-grandes produtores e 6 para grandes produtores.

No FCO Empresarial foram autorizados 18 projetos, nos quais serão aplicados em R$ 239,6 milhões em recursos, o que irá gerar 3.474 empregos diretos e indiretos, no Estado. Dentre os beneficiados pelo programa estão 5 pequenas empresas, 4 pequenas-médias empresas, 8 empresas médias e 1 grande empresa.

Os recursos do Fundo do Centro-Oeste custeiam projetos nas áreas de comércio e serviços, indústria, infraestrutura, turismo, aquisição de equipamentos agrícolas, de matrizes, construção de armazéns, silos e ampliação de instalações empresariais e rurais.

Leia mais:  Crédito: FCO tem R$ 546,8 milhões para empresários e produtores rurais de Mato Grosso

“Temos percebido uma busca crescente por créditos do FCO em Mato Grosso. Há novas empresas e indústrias se instalando no Estado, outras ampliando sua capacidade de produção. O agronegócio tem se expandido rapidamente, e isso mostra a forte expansão econômica do Estado, resultado de um ambiente de negócios seguro e promissor”, enfatiza o presidente do Codem e secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, César Miranda.

Recursos liberados

Nestes primeiros cinco meses do ano, o Codem já liberou R$ 1,3 bilhão em créditos do FCO para produtores rurais e empresários de Mato Grosso. Em todo o ano de 2021 foram emprestados R$ 3,5 bilhões.

De acordo com dados do caderno de informações gerenciais do Condel/Sudeco, as contratações do FCO atenderam a 99,3% dos municípios mato-grossenses.

(Secom/Sedec-MT)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana