conecte-se conosco


Saúde Pública

Com índices em alta e lotação nas UTIs, município aguarda novos leitos; Pregão ocorre na sexta

Publicado

Os números preocupantes do último boletim da Covid-19 divulgado pelo município intensificam o sinal de alerta em Tangará da Serra em relação à pandemia do novo coronavírus.

A pandemia piorou em abril, conforme matéria publicada pelo EB agora pela manhã (“Abril registra alta nos índices em Tangará da Serra, que segue em risco muito alto”, link ao final da matéria) e o boletim divulgado nesta quarta-feira mostra que persiste o avanço da Covid-19 neste início do mês de maio.

A apreensão aumenta com as altas taxas de ocupação dos leitos destinados exclusivamente a pacientes com Covid-19. As UTIs públicas estão com sua capacidade exauridas, com 100% de ocupação. Também as UTIs particulares estão com taxa alta – 90% – e os leitos públicos de enfermaria mostram sua taxa mais alta desde o início da pandemia, com 92,59% de ocupação.

Pregão

Diante desse quadro, fica evidente a urgência na habilitação de novos leitos no Hospital Municipal. Na próxima sexta-feira (07) ocorre o pregão eletrônico 019/2021, a partir do qual o município contratará a empresa gestora da ala de UTI e de enfermaria da unidade hospitalar pública do município.

Prefeito Vander Masson e secretária de Saúde Gicelly Zanata anunciaram chegada dos sete novos respiradores mês passado.

O contrato de gestão atual – que tem a empresa Medicar Serviços de Emergência como contratada – vence no próximo dia 18, com uma nova empresa (vencedora do certame do dia 07) assumindo as funções a partir do dia 19.

Leia mais:  Covid-19: Tangará da Serra conta 300 óbitos e vê superlotação em UTIs; TCC é de 19,3%

A empresa gestora que assumirá a ala Covid do Hospital Municipal ficará responsável pelos leitos de UTI e enfermaria, fornecendo equipes médicas, de enfermagem, de técnicos e de serviços gerais, além dos insumos. As atividades incluirão também, a ampliação dos atuais 13 leitos para 20 leitos de UTI, considerando os sete novos respiradores adquiridos e já recebidos pelo município.

Conforme antecipado pelo Enfoque Business em matéria publicada no dia 07 de abril (ver link ao final do texto), neste conjunto de 20 leitos de UTI, 10 serão destinadas exclusivamente a pacientes de Tangará da Serra e os outros 10 passarão a ser regulados pelo governo do estado para atendimento, também, de pacientes de outros municípios.

A regulação de 10 UTIs pelo governo evitará a sobrecarga financeira na rede municipal, considerando que cada UTI tem um custo diário ao redor de R$ 2 mil, segundo informação do Executivo Municipal.

Números

Segundo boletim divulgado hoje, Tangará da Serra conta com 210 casos ativos (145 pacientes em isolamento domiciliar e outros 65 internados). Os óbitos somam 230, sendo nove ocorridos nestes primeiros cinco dias de maio.

Leia mais:  COVID-19 rompe a barreira dos 100 mil casos de contaminação no país; Em MT, avanço da pandemia é de 1,2%

Veja boletim a seguir. Matéria relacionadas logo após o boletim.

Covid-19: Abril registra alta nos índices em Tangará da Serra, que segue em risco muito alto

Em Tangará da Serra, prefeito defende tratamento precoce e projeta ampliação para 20 leitos de UTI

 

 

publicidade

Saúde Pública

Tangará da Serra divulga 1ª lista de crianças de 5 a 11 anos para vacinação

Publicado

A Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra divulgou na tarde desta quinta-feira, dia 20/01, a 1ª Lista de Convocação de crianças com idade entre 05 e 11 anos, com comorbidade ou deficiência permanente, para receberem a vacina contra a COVID-19.

A vacinação ocorrerá entre as 8h e as 10h30 da manhã desta sexta-feira, dia 21/01, na Escola Especial Raio de Sol (APAE).

A secretária municipal de Saúde, Gicelly Zanatta, explica que nesta primeira etapa serão vacinadas as crianças atendidas pela APAE e outras 40 crianças cujos nomes estão na lista ao final do texto.

Documentos necessários

Para vacinar as crianças, os pais devem ficar atentos aos documentos necessários:
– Cartão de vacinação da criança;
– Comprovante da comorbidade (pode ser laudo, receituário, pedido médico de vacina);
– Documento de identificação da criança (pode ser a certidão de nascimento ou RG) ;
– CPF ou cartão SUS;
– Documento do adulto comprovando que é responsável legal pela criança.

Xepa

Leia mais:  Covid-19: Tangará da Serra conta 300 óbitos e vê superlotação em UTIs; TCC é de 19,3%

A Secretaria de Saúde também passará a adotar uma “xepa” para atender o máximo possível de crianças com a vacinação. “Caso haja alguma criança, que não está nesta lista, que tenha alguma comorbidade ou deficiência permanente e que possa ir na APAE das 8h às 10h30, mesmo que não tenha cadastro, que faremos uma xepa para atender essas crianças”, disse.

(Assessoria de Comunicação)

Veja a lista:

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana