conecte-se conosco


Cidades & Geral

Com crise hídrica agravada, cidade terá abastecimento somente dois dias por semana

Publicado

A escassez de chuvas em pleno mês de novembro está transformando em dramática uma situação que já era crítica em Tangará da Serra.

As chuvas previstas não se confirmaram e as poucas precipitações que ocorrem em pontos isolados praticamente em nada contribuem para o restabelecimento da vazão do rio Queima-Pé, fonte de abastecimento da cidade. O resultado é o agravamento da crise hídrica, que já se revela pior que a vivenciada no ano passado. Ou seja, haverá endurecimento das ações de racionamento de água.

A situação foi considerada “gravíssima” em entrevista coletiva promovida pelo Executivo Municipal na manhã desta terça-feira. Na oportunidade, o diretor do Samae, Heliton Luiz Oliveira, anunciou a redução do abastecimento de três para dois dias semanais. A autarquia informou o crinograma de abastecimento por bairro (Ao final de texto)

Com a severa estiagem, a capacidade de tratamento de água na ETA diminuiu de 320 litros/segundo para 200 litros/segundo. “É preciso reservar a água que chega nas residências e economizar. A situação é gravíssima. Não está chovendo na região do Queima Pé”, disse o diretor da autarquia.

Represa Sitna: Baixa vazão do Queima Pé e dos córregos auxiliares expõem a gravidade da situação.

A represa Sitna (foto acima), a primeira a receber água bruta na Estação de Captação, Tratamento e Distribuição de Água (ETA) da cidade, está praticamente seca, apenas com um fio d’água que vem do Queima Pé e dos córregos Figueira e Uberabinha, que a abastecem. Nem mesmo a contribuição do rio Russo tem amenizado o grave problema.

Leia mais:  Memorial celebra legado de Olacyr de Moraes para o desenvolvimento da região

A indisponibilidade de caminhões-pipa no mercado torna a situação ainda mais difícil. O município busca contratar caminhões para transportar água bruta do rio Sepotuba até a ETA. “Já fizemos três licitações para contratar caminhões-pipa, mas as três deram desertas. Ou seja: Temos o dinheiro para contratar esses caminhões, mas não há caminhões”, lamentou Heliton Oliveira.

Previsão

Semana passada, a previsão de chuvas para a semana atual era animadora. Os principais sites de meteorologia apontavam para volumes superiores a 100 milímetros para ontem (segunda, 15) e para esta terça-feira. Nenhuma previsão se confirmou, ao menos até o desfecho desta publicação.

Hoje, o site Clima Tempo indica a possibilidade de chuvas em volume pouco superior a 90 milímetros até o próximo sábado. Mesmo se confirmando estas precipitações, o drama da crise hídrica ainda se manterá em Tangará da Serra.

Mas, o que está ruim pode piorar. Uma frente fria que acessa o sul do continente poderá frustrar as previsões de chuvas no Centro Oeste. Para a semana que vem há previsão de chuvas em volume total de 130 milímetros, mas poderá haver um período sem chuvas entre o sábado (27) e o final do mês.

Leia mais:  Crédito de R$ 28 milhões será destinado a captação no Sepotuba, esgoto e resíduos sólidos

(*) A seguir, cronogramas de abastecimento por bairro:

(Fotos: Samae)

publicidade

Cidades & Geral

Barra do Bugres: Maternidade tem recursos de R$ 500 mil, com obras previstas para março

Publicado

As obras da maternidade pública de Barra do Bugres deverão iniciar no mês de março. Ao menos é esta a expectativa após o anúncio de uma verba do Estado, no valor de R$ 500 mil, que será assegurada através de emenda parlamentar.

A emenda parlamentar foi anunciada pelo deputado estadual Paulo Araújo (PP) durante reunião no auditório da Câmara Municipal com a prefeita de Barra do Bugres, Maria Azenilda Pereira (MDB), vereadores e secretários. Também participaram da reunião o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Marcos Aurélio da Silva, e o presidente da Associação Comercial e Industrial de Barra do Bugres (ACIBB), Iandro Almicci.

A pauta da reunião foi a construção da maternidade de Barra do Bugres. O município, que não conta com nenhum hospital público ou privado, se obriga a encaminhar gestantes para partos em maternidade no município vizinho de Arenápolis, o que significa, também, aumento de custos.

Segundo o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Marcos Aurélio da Silva, o projeto da obra já está em análise para que as obras tenham início o mais rápido possível, já que se trata de uma demanda urgente do município.

Leia mais:  Crédito de R$ 28 milhões será destinado a captação no Sepotuba, esgoto e resíduos sólidos

Segundo informações do município, em se confirmando o depósito dos recursos prometidos pelo deputado, as obras terão início já em março próximo.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana