conecte-se conosco


Cidades & Geral

Centro de Eventos: Governo do Estado retoma obra e projeta entrega até final do ano

Publicado

A ‘novela’ do Centro de Eventos de Tangará da Serra tem um novo capítulo neste mês de outubro. As obras foram retomadas pelo governo estadual com previsão de término ainda este ano.

Segundo o secretário de Turismo do município, Welington Machado Rondon, os trabalhos nesta retomada consistem na aplicação de selador e organização da instalação elétrica, além de parte da cobertura.

A retomada confirma as conversações ocorridas em março último, quando Rondon recebeu em Tangará da Serra o representante da Secretaria Adjunta de Estado de Turismo (SEDEC/SEADTUR), Reinaldo Guimarães. O agente do estado projetou, na ocasião, a entrega da obra em dezembro próximo.

Obra

O Centro de Eventos de Tangará da Serra está sendo construído pelo Governo do Estado de Mato Grosso, através da SEDEC/SEADTUR, com recursos do Programa de Desenvolvimento Sustentável de Turismo (PRODESTUR), via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Novela

Com projeto concebido e aprovado em 2012 e obras iniciadas em 2016, o Centro de Eventos de Tangará da Serra teve suas obras paralisadas por diversas vezes, seja por incompetência e atrasos nos repasses do governo à empresa responsável, seja por problemas técnicos da empreiteira.

Leia mais:  LUTO: Renan Coelho será velado a partir das 13hs, na escola José Nodari; Sepultamento será amanhã, às 09hs

A inconsistência nas obras, na verdade, reflete um problema do qual Tangará da Serra e os municípios da região anexa mais se ressentem: a falta de força política e uma representatividade fraca e muito aquém das expectativas da população.

Os dois governos anteriores à gestão de Mauro Mendes – de Silval Barbosa (MDB, 2010 a 2014) e Pedro Taques (PSDB, de 2015 a 2018) – foram marcados, respectivamente, pela corrupção e pela inércia/inépcia/ineficiência. Já o governo de Mauro, somente agora, em ano pré-eleitoral, resolve retomar a obra.

Estrutura

O Centro de Eventos representará uma nova fase para Tangará e região no turismo de negócios. Os grandes eventos voltados a qualquer setor (agropecuária, indústria, tecnologia, serviços, educação, meio ambiente, etc.) proporcionarão fluxos importantes de visitação aos pontos turísticos existentes no município.

Com uma área física projetada de 3,8 mil metros quadrados e capacidade para comportar até oito eventos simultâneos, o Centro de Eventos terá estrutura interna com ilhas de WC, cozinha, varanda de serviços, depósitos, dependência administrativa, área para carga e descarga e espaço para câmara fria. Haverá, também, uma área externa de 9 mil metros quadrados para eventos como o Carnaval e outros de grande porte. O estacionamento contará com cerca de 450 vagas.

Leia mais:  Barra do Bugres: PM apreende 550 kg de pescado irregular com provável origem em área indígena

A gestão do espaço e a captação de eventos deverá ser de responsabilidade um ‘convention bureau’, espécie de autarquia formada por representantes do trade turístico e do poder público.

publicidade

Cidades & Geral

Brasnorte: Ação na Justiça requer devolução de área e indenização de R$ 10 milhões da JBS

Publicado

O não cumprimento de um acordo entre uma indústria frigorífica e o município de Brasnorte (600 km de Cuiabá) está resultando numa batalha judicial. O município de Brasnorte entrou com uma ação contra a JBS para revogação de doação com pedido de reversão do imóvel.

O motivo seria o não cumprimento de atividade econômica de um frigorífico instalado pela empresa, que estaria operando com apenas 10% da capacidade, frustrando as expectativas do município de fomento à economia quando da doação da área.

Segundo o prefeito de Brasnorte, Edelo Marcelo Ferrari, a verdadeira intenção do pedido é que o frigorífico cumpra sua finalidade.

A ação inclui, ainda, multa de R$ 500 mil reais e R$ 10 milhões em indenizações por danos morais.

Segundo o prefeito de Brasnorte, Edelo Marcelo Ferrari (DEM), a verdadeira intenção do pedido é que o frigorífico cumpra sua finalidade, que é de realizar os abates previstos, gerar emprego e trazer renda para o município. “Nós também temos muito dinheiro investido naquela área, tendo em vista que o município fez toda a terraplanagem além da doação do terreno. Então, mais do que justo seria funcionar e isso não está acontecendo”, explica Ferrari.

Leia mais:  Covid-19: Executivo oficializa novas flexibilizações; Eventos e esportes coletivos liberados

Desapontamento

Para o presidente do Sindicato Rural de Brasnorte, Cleber José dos Santos Silva, a classe produtora está muito desapontada com a subutilização da planta instalada no município e concorda com a ação imposta pela prefeitura para o cumprimento do TAC. “Hoje nós temos uma pecuária maior e mais forte, fartura de pasto – com a integração de agricultura e pecuária, temos mais de 400 mil cabeças de gado e condições para instalar grandes frigoríficos e confinamentos porque temos uma abundância de grãos dentro do nosso município. Então nós cobramos que haja a responsabilidade do frigorífico de cumprir com este compromisso que ele tem com nosso município ou então deixar a oportunidade para que outras empresas possam explorar o potencial que temos aqui em Brasnorte”, esclareceu Cleber.

(Fonte: Agronews; foto: prefeitura de Brasnorte)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana