conecte-se conosco


Cidades & Geral

Caso Edinho: Em carta aberta, entidades pedem solução do crime; Carreata confirmada para sábado

Publicado

Prestes a completar seis meses sem solução, o crime que vitimou o servidor público Edson Vicente da Costa – popular Edinho (foto) – persiste envolto num clima nebuloso. O caso já é um dos mais misteriosos da história policial de Tangará da Serra. (Leia matéria sobre o crime clicando em link ao final do texto)

Em meio a tantas dúvidas sobre a autoria e possível participação de terceiros, membros de entidades das quais Edinho tinha ligação divulgam um manifesto reforçando pedido de solução do crime às autoridades policiais.

O manifesto foi redigido em conjunto pelas entidades Sociedade Alternativa La Comuna, OAB – 10ª Subseção de Tangará da Serra, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SSERP), Sindicato dos Trabalhadores na Educação Pública (SINTEP), ADUNEMAT – Subsede Tangará da Serra, e Associação dos Santistas de Tangará da Serra.

Reforçando a mobilização, amigos e familiares de Edson Vicente da Costa promoverão, a partir das 10h00 do próximo sábado, uma carreata que sairá da sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), na Avenida Brasil, em direção à Prefeitura Municipal.

Na sequência, íntegra do manifesto:

 

JUSTIÇA POR EDINHO!

O Brasil tem se notorizado em crimes não resolvidos. Em 2020, o país teve 43.892 mortes violentas e uma taxa de homicídios de 19.7 por 100 mil habitantes (FBSP), um aumento de 5,2% em relação ao ano anterior. No entanto, segundo o Instituto Sou Paz, apenas 30% dos casos de assassinato são resolvidos. Esse índice é um retrato da impunidade no país. Ademais, a lentidão para o esclarecimento dos casos de homicídio é uma afronta, pois 90% deles são resolvidos no prazo de dois anos.

Em Tangará da Serra, no dia 06 de novembro de 2020, foi assassinado de maneira brutal e covarde um dos seus cidadãos mais respeitados: Edson Vicente da Costa. Edinho Che como gostava de ser chamado, era pioneiro dessa cidade, formado em Letras e Direito,  funcionário público municipal, advogado e desportista. Em vida contribuiu diretamente para constituição de inúmeras associações de bairros, participou da criação da Coopertan e foi o idealizador e um dos fundadores da Sociedade Alternativa La Comuna, por quem tinha uma consideração indescritível. Mas seu maior legado era a família e os amigos. Deixou seus pais, dois filhos, irmã, sobrinhos, esposa e enteada e uma infinidade de amigos e admiradores que jamais se conformarão com sua perda.

Edinho Che era homem de bem! Totalmente desapegado das tentações materiais da vida e que fazia sempre questão de ajudar ao próximo, mesmo tendo grande parte do seu tempo dedicado de maneira exemplar ao seu trabalho como servidor público.

Por tudo que Edinho Che representava, por um mundo sem violência e por uma Tangará da Serra mais humana, as entidades que subscrevem essa carta exigem JUSTIÇA. Para uma sociedade mais justa e fraterna, um crime dessa natureza, não pode ficar impune e sem solução.

A sociedade está alerta e vigilante, clama por respostas e pela solução do caso EDINHO.

Quem foi e porquê? Que o(s) delinquente(s) sejam punidos exemplarmente.

Nada trará Edinho de volta, mas o sentimento de Justiça há que prevalecer.

Edinho Che Vive!

Justiça e Paz!

 

Sociedade Alternativa La Comuna

OAB 10ª Subseção de Tangará da Serra

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais

SINTEP

ADUNEMAT – Sub-sede Tangará da Serra

Associação dos Santistas de Tangará da Serra

Polícia trabalha com duas linhas de investigação para esclarecer crime que vitimou o servidor Edinho

 

Leia mais:  Clima: Temperatura poderá descer aos 11 graus na sexta-feira; Próxima semana poderá ter mais chuva

publicidade

Cidades & Geral

Centro de Eventos: Ajustes no projeto e divergência forçaram paralização; Obras prosseguem

Publicado

A paralisação verificada esta semana nas obras do Centro de Eventos, em Tangará da Serra, foram motivadas por ajustes no projeto e divergência funcional. Uma equipe de técnicos, com um engenheiro, esteve ontem na cidade para regularizar as duas situações e dar prosseguimento às obras.

Segundo o secretário municipal de Turismo, Wellington Rondon, a equipe informou que a cobertura será toda pré-moldada, com fabricação das estruturas em Cuiabá. “Houve ajustes no projeto e começaram a fabricação”, disse o secretário, conforme as informações que recebeu.

Equipe da empreiteira responsável pelas obras avalia adequações no projeto do Centro de Eventos (Foto: SEDEC/SEADTUR).

Outro problema que forçou a paralisação temporária das obras – segundo informações repassadas pelo secretário de Indústria e Comércio do município, Silvio Sommavilla – diz respeito a divergências funcionais com um colaborador, que acabou sendo substituído pela empreiteira.

Obra

O Centro de Eventos de Tangará da Serra está sendo construído pelo Governo do Estado de Mato Grosso, através da SEDEC/SEADTUR, com recursos do Programa de Desenvolvimento Sustentável de Turismo (PRODESTUR), via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Leia mais:  Região de Tangará da Serra deverá receber cerca de 100 mm de chuvas até domingo

Novela

Com projeto concebido e aprovado em 2012 e obras iniciadas em 2016, o Centro de Eventos de Tangará da Serra teve suas obras paralisadas por diversas vezes, seja por ineficiência e atrasos nos repasses do governo à empresa responsável, seja por problemas técnicos das empreiteiras.

Desta vez, a paralisação foi motivada por necessidade de ajustes no projeto, mas terão continuidade.

Estrutura

O Centro de Eventos representará uma nova fase para Tangará e região no turismo de negócios. Os grandes eventos voltados a qualquer setor (agropecuária, indústria, tecnologia, serviços, educação, meio ambiente, etc.) proporcionarão fluxos importantes de visitação aos pontos turísticos existentes no município.

Com uma área física projetada de 3,8 mil metros quadrados e capacidade para comportar até oito eventos simultâneos, o Centro de Eventos terá estrutura interna com ilhas de WC, cozinha, varanda de serviços, depósitos, dependência administrativa, área para carga e descarga e espaço para câmara fria. Haverá, também, uma área externa de 9 mil metros quadrados para eventos como o Carnaval e outros de grande porte. O estacionamento contará com cerca de 450 vagas.

Leia mais:  Tangará da Serra: Junqueira e Masson iniciam processo de transição; Equipe deverá ser anunciada hoje

A gestão do espaço e a captação de eventos deverá ser de responsabilidade um ‘convention bureau’, espécie de autarquia formada por representantes do trade turístico e do poder público.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana