conecte-se conosco


Cidades & Geral

Buritis II: Já em comercialização, 2ª etapa do loteamento estará concluída até final deste ano de 2020

Publicado

O Loteamento Buritis II, um dos principais empreendimentos imobiliários de Tangará da Serra, estará integralmente concluído até 31 de dezembro de 2020. O empreendimento, que tem um total de 1.450 lotes residenciais e comerciais, já entregou em sua primeira etapa 854 lotes prontos para construção. Agora, na segunda etapa, entregará as demais 596 unidades, com dimensões de, em média, 275m² (11x25m).

Loteamento conta com ruas pavimentadas, meio-fio e drenagem de águas.

Segundo a Empreendimentos Tarumã, empresa responsável pelo Buritis II, os lotes já podem ser comercializados e estarão prontos para construir após a liberação da prefeitura, na sequência da conclusão da infraestrutura da segunda etapa.

Localizado no quadrante norte da cidade, na saída para a Linha 12, o Buritis II já tem 90% dos seus 854 lotes da primeira etapa comercializados, muitos deles já com construções. Há, também, inúmeros estabelecimentos empresariais já instalados e em instalação.

Primeira etapa conta com 90% dos lotes comercializados, muitos deles já com construções.

A Tarumã facilita a negociação, com financiamento próprio em até 180 vezes e entrada negociada, ou via financiamento bancário.

Leia mais:  Sinal 5G começará a funcionar em Brasília na quarta-feira; No MT, prazo é para setembro

Mobilidade

O Buritis II representará um grande salto de qualidade ao aglomerado urbano de Tangará da Serra. Já possui a maioria das ruas asfaltadas e as demais em pavimentação, além de três avenidas: o prolongamento da Tancredo Neves, Lourdes Lorenzetti e a Zelino Lorenzetti.

Todas as vias contam com drenagem de águas pluviais e meio-fio. A iluminação das ruas e avenidas conta com lâmpadas de LED.

Boa localização e qualidade na infraestrutura resulta em rápida ocupação no Buritis II.

De localização privilegiada, o Buritis II será um dos bairros mais bem servidos pela mobilidade urbana em Tangará da Serra. Por enquanto, o acesso ocorre pela Avenida Zelino Lorenzetti em conexão com a Nilo Torres.

Ainda quanto à mobilidade urbana, o empreendimento terá conexão com a área central da cidade através da futura ligação da Avenida Tancredo de Almeida Neves, cujo prolongamento consiste em sua via principal.

Segunda etapa: Avenida Lourdes Lorenzetti com obras de pavimentação em estágio avançado.

A estrutura do novo bairro também chama a atenção. Além de oferecer todas as ruas asfaltadas (algumas delas ainda em pavimentação) e iluminação em LED, já conta com rede de água e terá estrutura completa com pista de caminhada, ciclovia, academia ao ar livre e área verde.

Ruas e avenidas em pavimentação na segunda etapa do Buritis II, que será concluída até final do ano.

Segunda etapa: Prolongamento da Avenida Tancredo Neves em obras.

Leia mais:  Feira do Centro oferece duas atrações típicas do Brasil e valiosas para a saúde e a culinária
publicidade

Cidades & Geral

Sinal 5G começará a funcionar em Brasília na quarta-feira; No MT, prazo é para setembro

Publicado

Brasília será a primeira capital do país a ter a rede 5G em funcionamento na telefonia móvel. Segundo o conselheiro e vice-presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Moisés Moreira, o sinal será liberado em Brasília nesta quarta-feira (6).

Em participação no evento Teletime Inc, em São Paulo, o grupo técnico da Anatel encarregado de avaliar a desocupação da faixa de 3,5 gigahertz (GHz) aprovou a ativação do sinal 5G na capital federal no fim da tarde de hoje (4). Segundo Moreira, as próximas capitais a terem a tecnologia liberada serão Belo Horizonte, Porto Alegre e São Paulo, sem data prevista por enquanto.

Moreira preside o grupo da Anatel responsável pela liberação das frequências 3,5 GHz, por onde transitará o sinal da telefonia 5G. Atualmente, essa faixa ainda está ocupada por empresas de antena parabólica que operam com a tecnologia Banda C e estão atrasadas com a migração para outra frequência, chamada de Banda Ku.

Originalmente, o edital do leilão do 5G, realizado em novembro do ano passado, previa que todas as capitais deveriam ser atendidas pela telefonia 5G até 31 de julho. No entanto, problemas com a escassez de chips e com atrasos na produção e na importação de equipamentos eletrônicos relacionados à pandemia de covid-19 provocaram atrasos no cronograma.

Leia mais:  Sinal 5G começará a funcionar em Brasília na quarta-feira; No MT, prazo é para setembro

O prazo para o funcionamento do 5G em todas as capitais passou para 29 de setembro. Segundo Moreira, o lançamento da rede 5G em Brasília servirá como teste, com a Anatel e as operadoras instalando filtros anti-interferência. Também está prevista a distribuição de decodificadores da Banda Ku à população de baixa renda que usa antenas parabólicas antigas que operam na Banda C.

(Agência Brasil)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana