conecte-se conosco


Cidades & Geral

Barra do Bugres tem 30 dias para adequar projeto de reforma do HM; Estado garantirá R$ 8 milhões

Publicado

Uma comitiva de Barra do Bugres esteve ontem na capital do Estado cobrando agilidade para a reativação do hospital municipal. O grupo – integrado pelo prefeito Divino Henrique Rodrigues (PDT), secretários, vereadores e representantes da sociedade civil organizada do município – foi recepcionado em audiência pelo secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo.

O hospital foi desativado e a estrutura física, que seria assumida pelo município este ano, segue em desuso por irregularidades no projeto.

A audiência foi agendada pelos deputados estaduais Dilmar Dal Bosco (DEM) e Paulo Araújo (PP).

As reformas do prédio do hospital municipal dependerão de adequações no projeto, que possui várias irregularidades e inconsistências apontadas pelo governo. Outro detalhe é que, para este ano que se encaminha para o fim, o próprio Estado já não apresenta mais condições orçamentárias.

Segundo o secretário Gilberto Figueiredo, as necessidades de adequações no projeto já eram de conhecimento do prefeito Divino Henrique meses antes da reunião. “O projeto protocolado pelo Executivo de Barra do Bugres apresenta irregularidades e precisa de correção imediata (…) O Estado se compromete a aportar recursos de pelo menos oito milhões, com o projeto corrigido e aprovado pelo estado”, disse Figueiredo, durante a audiência.

Leia mais:  Clubes de Serviço: Rotary de Tangará da Serra iniciam nesta quinta-feira as trocas de diretorias

Cobrança

A sociedade de Barra do Bugres quer agilidade na questão do hospital municipal. Antes sede de um Hospital Regional, a cidade hoje não conta com nenhuma unidade hospitalar.

Comitiva de Barra do Bugres foi recepcionada em audiência pelo secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo.

O hospital regional foi desativado e a estrutura física, que seria assumida pelo município este ano, segue em desuso por força de irregularidades no projeto de reforma. As irregularidades, por sinal – segundo citou o próprio secretário Gilberto Figueiredo – já eram de conhecimento do prefeito Divino Henrique há alguns meses, mas não houve movimentação para agilização das obras por parte do Executivo.

Enquanto isso, a sociedade cobra uma solução rápida. Os atendimentos estão sendo feitos em Arenápolis, Tangará da Serra e/ou Cuiabá. “É uma questão de vida ou morte… Nossas crianças estão nascendo dentro de ambulâncias”, disse, durante a audiência, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Barra do Bugres, Iandro Almicci.

Leia mais:  Feira do Centro oferece duas atrações típicas do Brasil e valiosas para a saúde e a culinária

Já o vereador Arthur José Franco Pereira – popular “Arthurzão” – citou que vários procedimentos, inclusive cirurgias, eram realizadas no hospital regional, em Barra do Bugres, mas atualmente a demanda local é suprida em cidades vizinhas. “Reforço a importância das correções necessárias ao projeto por parte do executivo municipal”, disse, ressaltando o prazo de 30 dias acordado com o estado durante a audiência.

(Colaborou com informações: Rubens Leite – jornalista de Barra do Bugres)

publicidade

Cidades & Geral

Feira do Centro oferece duas atrações típicas do Brasil e valiosas para a saúde e a culinária

Publicado

Domingo, como reza a tradição, é dia de Feira em Tangará da Serra. E dois produtos muito atrativos na Feira do Produtor do Centro são as castanhas de caju e do Pará. As duas são alimentos saudáveis e compõem receitas extraordinárias, como nos links ao final do texto.

A castanha-do-pará é rica em proteínas, fibras, selênio, magnésio, fósforo, zinco e vitaminas do complexo B e vitamina E. Também fornece antioxidantes ao organismo, promovendo a diminuição do colesterol total. Melhora o sistema imunológico e ajuda a prevenir alguns tipos de câncer, como de mama, próstata e cólon.

Contribui para a saúde do cérebro e mantém o cabelo e as unhas saudáveis. Reduz a pressão alta, ajuda a regular a tireoide e é excelente fonte de energia.

Já a castanha-de-caju vem do fruto do cajueiro e é rica em antioxidantes, gorduras boas e minerais. Ajuda a prevenir o desenvolvimento de doenças do coração e anemia, além de melhorar a saúde da pele, unhas e cabelo. Segundo especialistas, consumir cerca de 30 gramas de castanha de caju por dia é uma alternativa para complementar os nutrientes consumidos diariamente.

Leia mais:  Crédito de R$ 200 mil para serviços cartorários viabilizará escrituração de área do aeroporto

Castanhas nos boxes

A castanha-do-pará oferecida na Feira do Centro é proveniente da região de Juína e de outras cidades e localidades da região norte do estado. Já a castanha de caju vem, principalmente, da região Nordeste do Brasil.

São comercializadas em vários boxes do setor de hortifruti, em especial nos boxes 16-C, de Elieder Santos; 21-A, de Francisco da Silva; 23-A, de Eliane Resende; e 42-A, de Elton Pereira.

Veja, a seguir, receitas com as duas castanhas:

https://www.receiteria.com.br/receitas-com-castanha-do-para/

https://www.receiteria.com.br/receitas-com-castanha-de-caju/

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana