conecte-se conosco

Cidades & Geral

ATUALIZAÇÃO: Acidente envolvendo cinco motos deixa ao menos TRÊS mortos na MT-358, em Tangará da Serra

Publicado

Um violento acidente ocorrido no início da noite desse domingo deixou um saldo de, ao menos, três mortos na MT-358, entre Tangará da Serra e o distrito de Progresso. A informação de que haviam sete vítimas fatais foi repassada pela PM anteriormente e retificada agora.
Cinco motos transitavam pela rodovia quando o condutor de uma motocicleta de alta cilindrada perdeu o controle e atingiu as outras quatro. O condutor da moto Honda CBR-1.000, de cor preta, seguia na direção a Tangará da Serra e colidiu de frente contra as outras motos que vinham em sentido contrário.

Moto envolvida no acidente. Casal de namorados foi a óbito no local.

O condutor da CBR – identificado como Ricardo L. Martins, 53 anos, e a personal trainer Gerislânia Morais, de 44 anos, que estava na garupa, morreram no local. O condutor de uma das motos que vinham em sentido contrário – Felipe da Costa Olímpio, 18 anos – também foi a óbito. A Polícia Militar foi acionada e atendeu a ocorrência.
Os três óbitos foram confirmados e, segundo a PM, há possibilidade de mais vítimas. Os policiais realizam buscas no local. A identidade das vítimas ainda não foi divulgada. Mais informações em instantes.

Leia mais:  Antecipação de feriados pode não ocorrer; Governo abre diálogo e informará medidas amanhã

publicidade

Cidades & Geral

Anvisa alerta que testes de covid não detectam anticorpo, nem eficácia das vacinas

Publicado

A Anvisa divulgou esta semana um alerta reforçando que testes de covid -19 não comprovam a proteção da vacina. A Agência lembra que estes testes não devem ser usados para medir o nível de proteção contra o coronavírus após as pessoas se vacinarem.

O alerta da Anvisa informa que os testes de identificação da covid-19 registrados no país, vendidos até em farmácia, não tem a finalidade de indicar se a pessoa está protegida do vírus. Só confirma se a pessoa foi infectada ou não. Segundo a agência, esses testes não verificam o nível de proteção que cada pessoa tem contra a doença.

A Anvisa reforça que nenhum teste que detecta a presença de anticorpo (seja neutralizante, IGM, IGG ou outro) dão a garantia de imunidade e nem atestam qualquer nível de proteção contra a covid.

O professor da Universidade de Brasília, Wender Silva diz que, como estes testes não identificam a presença da proteína do coronavírus que a vacina combate, não conseguem medir a eficácia dos imunizantes. O professor Wender Silva reforça que, uma vez aprovadas, não é necessário se preocupar se as vacinas são eficazes e seguras.

Leia mais:  IBGE: Nova estimativa aponta Tangará da Serra com 105,7 mil habitantes; MT chega a 3,52 milhões e país conta 211,8 milhões

A Anvisa ainda alerta que não existe, até o momento, estudos indicam a quantidade de anticorpos neutralizantes necessária para garantir a proteção contra a covid-19. Esses anticorpos são os que evitam a entrada e multiplicação do coronavírus. E que também é preciso desenvolver outras pesquisas científicas para avaliar qual o grau de proteção é necessário contra a doença.

Para a Agência, ainda é preciso adotar as medidas preventivas contra o coronavírus, com uso de máscaras, higienização das mãos e o distanciamento social, mesmo após a vacinação.

(Agência Brasil)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana