conecte-se conosco


Cidades & Geral

Álcool, violência e sentimento de impunidade podem fazer jovens perderem juventude na cadeia

Publicado

Quando os jovens Gustavo Henrique Albanez e Jhony Marlon Carmargo de Souza seguiam rumo a uma oficina da cidade cobrar uma dívida, na tarde daquela quinta-feira (03/12), não imaginavam que estavam inaugurando a mais sombria fase das suas vidas.

Embalados pela bebida alcoólica e cegados pela inconsequência, Gustavo e Jhony Marlon (foto acima) chegaram à oficina do mecânico João Paulo da Costa, em Tangará da Serra, querendo receber uma dívida. João Paulo não tinha o dinheiro naquele momento e esta foi a senha para uma sessão tríplice de tortura.

Violência e roubo

O quadro da sessão tríplice contra a vítima João Paulo foi pintado com os tons cinzentos da quádrupla combinação de álcool, violência, covardia e sentimento de impunidade.

Gustavo e Jhony foram e voltaram três vezes à oficina de João Paulo naquele dia. Numa delas, fecharam o estabelecimento para que a vítima não tivesse como fugir, espancaram-na, filmaram as cenas e, por fim, roubaram uma peça de um veículo de um cliente para usar no carro de Gustavo.

O que ocorreu naquela fatídica quinta-feira veio à tona no final de semana seguinte (sábado, 05), nas redes sociais. O vídeo com as agressões foi postado (provavelmente) por Jhony, que filmou o espancamento de João Paulo. As imagens foram parar nas mãos da Polícia, que investiga a possibilidade da existência de um segundo vídeo, também com cenas de agressão.

Leia mais:  Feira do Centro oferece um riquíssimo alimento conhecido pelo homem há 6 mil anos

Fuga e prisão

A partir do momento em que as imagens do espancamento caíram nas redes sociais, o orgulho e a ‘valentia’ de Gustavo e Jhony Marlon começaram a ruir. A revolta que se espalhou na sociedade levou os dois infratores a se sentirem apreensivos, desesperadamente assustados com a proporção e as inevitáveis consequências do triste episódio.

De cabelo raspado para dificultar identificação, Gustavo foi preso nas primeiras horas da manhã do último dia 08, em Cuiabá. (Foto imagens TV)

Eles sabiam que a Polícia os procurava e resolveram fugir, mas foram presos no início da semana seguinte, nas primeiras horas da manhã da terça-feira, dia 08. Eles se preparavam para seguir em fuga.

Jhony escondia-se numa fazenda, na saída para Campo Novo do Parecis. Gustavo, que rapou seus cabelos para dificultar seu reconhecimento, estava num hotel, em Cuiabá.

Gustavo e Jhony receberam voz de prisão e foram algemados. Prestaram depoimentos e seguiram para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Tangará da Serra.

Consequências

O inquérito foi concluído esta semana e o resultado pode ser quase tão doloroso quanto as agressões e as humilhações sofridas pela vítima João Paulo, que, por sinal, dificilmente esquecerá o pavor que vivenciou naquela quinta-feira.

Leia mais:  Clubes de Serviço: Rotary de Tangará da Serra iniciam nesta quinta-feira as trocas de diretorias

O delegado Adil Pinheiro indiciou Gustavo Henrique e Jhony Marlon por crime de tortura (considerado hediondo e, portanto, inafiançável), com as agravantes de roubo qualificado (a peça – um painel inteiro – que a dupla de agressores arrancou do carro de um cliente da oficina) e restrição de liberdade (crime mais grave que cárcere privado: fecharam a oficina para impedir que João Paulo fugisse da sessão de espancamento).

Tudo isso, segundo o delegado, poderá render mais de 20 anos de reclusão a Gustavo Henrique Albanez e Jhony Marlon Camargo de Souza. O Ministério Público vai se manifestar e, só então, o juízo da 2ª Vara Criminal de Tangará da Serra decidirá quais as penas.

Se a Justiça entender cabíveis as penalidades sugeridas no inquérito, Gustavo Henrique e Jhony Marlon definitivamente dedicarão suas juventudes na cadeia. Para os dois jovens, um triste resultado da soma de quatro elementos: álcool, violência, covardia e sentimento de impunidade.

publicidade

Cidades & Geral

Clubes de Serviço: Rotary de Tangará da Serra iniciam nesta quinta-feira as trocas de diretorias

Publicado

Os Rotary do Distrito 4440 darão início hoje (quinta, 30) à série de solenidades festivas de trocas de diretorias para o ano rotário 2022/2023. A região 06 do Distrito, que é sediada por Tangará da Serra, é composta também pelos municípios vizinhos de Barra do Bugres, Denise e Nova Olímpia.

Alfredo Nuernberg assumirá em julho como governador assistente da Região 06 do Rotary Distrito 4440.

A primeira nova diretoria a ser empossada é a do Rotary Club Tangará Cidade Alta, com festiva ocorrendo logo mais, à noite, a partir das 20hs, na Casa da Amizade. Na ocasião, tomará posse na presidência do clube o bancário Luiz Antônio Fontana Junior, em lugar do empresário Eleçandro José de Oliveira.

Até o dia 11 de julho serão empossadas as novas diretorias do Rotary Club Tangará da Serra, Tangará da Serra Centro e Tangará da Serra Águas do Sepotuba, assim como os clubes de Barra do Bugres, Denise e Nova Olímpia.

As posses em julho também ocorrerão no Rotaract, Interact, Rotary Kids e Associação das Senhoras Rotarianas (ASR). O governador assistente do Distrito 4440 para a região 06 do ano rotário 2022/2023 será o empresário Alfredo Acácio Nuernberg.

Leia mais:  Crédito de R$ 200 mil para serviços cartorários viabilizará escrituração de área do aeroporto

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana