conecte-se conosco

Infraestrutura & Logística

Governo e Rumo Logística assinarão segunda-feira o contrato para construção de ferrovia

Publicado

O contrato para a construção, implantação e exploração da primeira ferrovia estadual de Mato Grosso será assinado na próxima segunda-feira (20), pelo governo do Estado e a Rumo Logística.

A assinatura ocorrerá, através do governador Mauro mendes e a empresa concessionária, em três atos distintos: em Cuiabá será às 9h30, no Centro de Eventos do Pantanal; em Nova Mutum, às 15h, no Centro de Eventos Casarin; e no município de Lucas do Rio Verde, às 18h, no Parque de Exposições Roberto Munaretto.

Os três atos serão transmitidos ao vivo pelo Facebook do Governo de Mato Grosso.

Participam ainda dos eventos senadores, deputados federais, deputados estaduais, secretários de Estado, representantes da Rumo Logística, prefeitos e autoridades dos municípios que receberão o traçado da ferrovia.

Coletiva de imprensa

Em Cuiabá, o governador atenderá a imprensa em entrevista coletiva, às 9h30, no Centro de Eventos do Pantanal. A cobertura da coletiva pelos veículos de comunicação nacionais e locais poderá ser feita de forma presencial ou remota, por videoconferência.

Os veículos deverão credenciar os profissionais pelo email [email protected] e especificar de que forma a cobertura será realizada, se presencial ou por videoconferência. O credenciamento estará aberto até sexta-feira (17.09), às 12h.

A coletiva terá duração de 30 minutos. Para aqueles que optarem pela cobertura remota, será enviado um link para videoconferência pelo Google Meet, na resposta ao email encaminhado.

Para evitar aglomeração na sala da coletiva, será permitida apenas a entrada de repórteres de TV, rádio e sites, cinegrafistas e fotógrafos.

Em Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, o governador atenderá aos jornalistas nos locais dos eventos.

A ferrovia

A assinatura do contrato autoriza a empresa a iniciar a construção de 730 quilômetros de linha férrea que vão interligar os municípios de Rondonópolis a Cuiabá, além de Rondonópolis com Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, e que vão se conectar à malha ferroviária nacional, em direção ao Porto de Santos (SP).

O projeto prevê investimento de R$ 11,2 bilhões para a implantação da ferrovia estadual. A partir do início das obras, a Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Ager) ficará responsável pela fiscalização do andamento. Estudos realizados pela Rumo Logística indicam que mais de 230 mil empregos serão gerados durante os anos de construção da ferrovia.

A previsão é de que o trecho entre Rondonópolis e Cuiabá estará concluído e em funcionamento no ano de 2025; enquanto a operação no trecho Cuiabá a Lucas do Rio Verde deverá começar em 2028.

Uma vez implantada, a Rumo Logística fica autorizada a explorar a ferrovia pelo prazo de 45 anos, sendo que a infraestrutura ferroviária poderá ser compartilhada pela empresa vencedora com outra empresa de transporte ferroviário que venha a prestar serviços no Estado.

(Redação EB, com Secom-MT)

Leia mais:  Propostas de parceria para concessão de 419 km de rodovias incluem a MT-480, em Tangará da Serra
publicidade

Infraestrutura & Logística

Diálogos Hidroviáveis: Evento sobre Hidrovia do Rio Paraguai encerra com ‘Carta de Cáceres’

Publicado

Foi encerrado nesta quinta-feira (07), na Câmara Municipal de Cáceres, o ‘Diálogo Hidroviáveis’, evento destinado a apresentar o panorama atual e os entraves para ampliar a utilização das hidrovias e, especificamente, debater a reativação da Hidrovia do Rio Paraguai.

Câmara Municipal de Cáceres foi palco do evento.

O ‘Hidroviáveis’ foi finalizado com a entrega da ‘Carta de Cáceres’ ao representante da Frente Parlamentar Mista de Logística de Transporte e Armazenagem (Frenlogi), deputado federal Edinho Bez (MDB-SC), onde consta uma série de reivindicações para a reativação da hidrovia.

O próximo evento ‘Diálogo Hidroviáveis’ será realizado em 2022, em Brasília, no auditório da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). A data ainda será confirmada.

Palestras/Debates

Marlene Lima, da Aprosoja, ministrou a primeira palestra do dia.

Porém, antes da entrega da Carta de Cáceres, o evento contou com palestras e debates sobre quatro temas intimamente ligados ao modal hidroviário. No primeiro debate, pela manhã, a gerente de Sustentabilidade da Aprosoja-MT, Marlene Lima, ministrou palestra sobre o tema ‘O projeto Guardião das Águas e seu Impacto para Preservação e Revitalização das Nascentes dos Rios Navegáveis’.

Leia mais:  Tangará da Serra: Prefeitura projeta ligação de avenida ligando Centro ao Buritis/Bela Vista

O debate foi coordenado pelo diretor executivo do Movimento Pró-Logística de Mato Grosso, Edeon Vaz Ferreira.

Capitão de Fragata Fajard, da Marinha, falou sobre segurança da navegação na hidrovia.

Logo em seguida, o tema em debate foi ‘Ações da Marinha para Segurança da Navegação e Formação de Aquaviários’, com o titular da Capitania Fluvial de Mato Grosso, Capitão de Fragata Alessandro Lopes Fajard Oliveira. A coordenação dos debates foi do diretor executivo da Companhia de Investimento do Centro Oeste e Terminal Portuário Paratudal, Cláudio Padilha.

Robson de Melo, do RISC/Unemat, ministrou palestra dobre cidades inteligentes.

À tarde, os debates versaram sobre ‘Crise Hídrica: Cenário Presente e Futuro’ e ‘Cidades Inteligentes e o Desenvolvimento do Turismo Associado à Navegação na Hidrovia Paraguai-Paraná’. As palestras foram ministradas pelo Superintendente de Regulação de Usos de Recursos Hídricos da Agência Nacional de Águas (ANA), Patrick Tadeu Thomas (via remota) e pelo Coordenador do Centro de Inovação de Redes Inteligentes e Soluções Criativas (RISC/Unemat), Robson Gomes de Melo.

Leia mais:  Estradas: Único interessado, Consórcio Via Brasil administrará trecho Itanorte-Jangada por 30 anos

Os dois últimos debates foram comandados, respectivamente, pelo coordenador de Tangará da Serra da Agência Regional Oeste (ARO), engenheiro civil, economista e especialista em Logística, Silvio Tupinambá Ferreira de Sá, e pelo deputado federal Edinho Bez, da Frenlogi.

Carta de Cáceres

‘Carta de Cáceres’ foi redigida pelo Padre Geraldo e entregue ao deputado federal Edinho Bez, da Frenlogi.

Após as palestras e debates houve a entrega ao representante da Frenlogi, deputado Edinho Bez, de um documento endereçado ao presidente da República, Jair Bolsonaro, com pedido pela liberação da Hidrovia do Rio Paraguai.

Denominado pelos presentes de “Carta de Cáceres”, o documento foi redigido pelo padre Geraldo José da Silva, de 88 anos, figura nativa e tradicional da cidade. No conteúdo consta um pedido de “destravamento” da navegação pelo rio Paraguai, bem como as demais ações, como o desassoreamento para viabilizar o tráfego no trajeto fluvial Cáceres-Corumbá, nos dois sentidos de direção.

Segundo o deputado Edinho Bez, além de ser encaminhado ao presidente Jair Bolsonaro, uma cópia do documento será entregue ao presidente da Frenlogi, senador Wellington Fagundes (PL-MT).

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana