conecte-se conosco

Cidades & Geral

Lixo Eletrônico: Escola Técnica de Tangará da Serra teve projeto premiado em 2017

Publicado

Em se tratando de destinação adequada do lixo eletrônico, a cidade de Tangará da Serra conta com um projeto premiado. O projeto “Seu Lixo Eletrônico Tem Endereço”, desenvolvido por alunos da Escola Técnica Estadual (ETE/Secitec) de Tangará da Serra no ano de 2017, foi o vencedor da 14ª Semana Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, que acontece de 24 a 26 de outubro daquele ano, na Arena Pantanal, em Cuiabá.

Projeto da ETE/Secitec foi premiado com o primeiro lugar em evento nacional realizado em 2017, na Arena Pantanal.

O projeto foi desenvolvido pelos alunos do curso de Manutenção e Suporte em Informática (MSI) da Escola Técnica Estadual. Numa primeira etapa, foi classificado em avaliação pela organização do evento, após apresentação na Semana da Ciência, Tecnologia e Inovação promovido pela ETE/Secitec, dois meses antes, em agosto.

(*) Leia matéria relacionada:

Decreto regulamenta logística reversa e obriga empresas a recolherem lixo eletrônico

Na capital, o projeto foi apresentado pelos então cursandos Luiz Fernando Carvalho e Sergio Roberto Reichert (que concluíram o curso e são, hoje, Técnicos em Manutenção e Suporte em Informática), sob supervisão e orientação dos professores Josenai Terra e José Cardoso.

Leia mais:  Depois de prender 14, PM localiza veículo com defensivos roubados em Tangará da Serra

Proposta

Alunos desmontam e fazem a triagem de equipamentos eletrônicos em desuso.

O projeto prevê parceria entre a Escola Técnica Estadual e o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae). Pelo projeto, as escolas das redes públicas estadual e municipal recebem contêineres especiais para a população do bairro onde a escola está localizada fazer o descarte de equipamentos exclusivamente eletrônicos já em desuso, como computadores, impressoras, monitores, tablets, celulares, micro-ondas e outros. Empresas e órgãos públicos também poderão realizar o descarte nestes locais.

O objetivo do projeto é proporcionar destinação correta destes resíduos, que possuem grande potencial poluidor, já que contém elementos altamente tóxicos como arsênio, cádmio, chumbo e mercúrio, que contaminam o solo e o lençol freático, representando riscos à saúde humana e animal.

Entidades – como a Casa Criança – receberam computadores montados com componentes reaproveitados.

Há, também, a questão do aprendizado dos cursandos. O projeto inclui a desmontagem dos equipamentos descartados e sua triagem pelos alunos do MSI, que testam os componentes (fontes, hd’s, placas, processadores, etc.), identificando os que ainda podem ser recondicionados. Os componentes restaurados são aproveitados – seja por componente avulso ou por um computadores montados a partir deles – por instituições públicas e entidades assistenciais/beneficentes/filantrópicas e associativas, enquanto o material inservível seguirá, através do Projeto Tangará Recicla, à Cooperativa de Reciclagem de Tangará da Serra (Coopertan) para o devido encaminhamento.

Leia mais:  Região de Tangará da Serra deverá receber cerca de 100 mm de chuvas até domingo

Todo trabalho consta, segundo o projeto, em relatórios e estatísticas sobre o material recepcionado, as peças recondicionadas e as entidades/instituições beneficiadas.

Segundo o ex-aluno e hoje Técnico em Manutenção e Suporte em Informática, Luiz Fernando Carvalho, caso seja aproveitado pelo poder público, o projeto significará menos volume no aterro sanitário, com redução da poluição no meio ambiente e também dos riscos à saúde pública. “Além destes benefícios, o projeto representará aprendizado prático aos alunos das novas turmas de cursos técnicos de Informática que vierem a ocorrer nas instituições de ensino”, destacou.

(Redação EB)

publicidade

Cidades & Geral

Chamam atenção prisões por crimes de roubo e tráfico no Assentamento Antônio Conselheiro

Publicado

Tem chamado atenção a frequência de prisões ocorridas no Assentamento Antônio Conselheiro por crimes graves como tráfico de entorpecentes e assalto a mão armada. A área foi destinada à reforma agrária na década de 1990 e é reconhecida mundialmente como o maior assentamento rural da América Latina. É localizada em sua maior parte em Tangará da Serra, com parcelas menores em Barra do Bugres e Nova Olímpia.

Apesar de seu objetivo de inserção social e geração de emprego e renda, a localidade tem atraído criminosos e, por isso, tem sido citada ultimamente mais nos noticiários policias que nos canais da mídia voltados à produção agropecuária.

Criminalidade preocupante: Armas e drogas apreendidas em operação policial no assentamento.

Plantação de Maconha

Ontem, quarta-feira (19), a comunidade regional foi surpreendida com a preocupante notícia de que numa propriedade no Antônio Conselheiro havia plantio de maconha. O flagrante foi realizado pela Polícia Judiciária Civil após investigação. O ilícito foi registrado na Agrovila 5 do assentamento.

Além da roça de maconha, os policias encontraram uma quantidade expressiva da erva já prensada, pronta para a comercialização e consumo.

Os policiais receberam denúncia via 197 na PJC de Cuiabá, informando sobre a roça de ‘cannabis sativa’ e uma suposta comercialização da droga na propriedade. A ação da PJC resultou na prisão de um homem que residia no sítio. No local, além da ‘horta’ de maconha, os policias encontraram uma quantidade expressiva da erva já prensada, pronta para a comercialização e consumo. Também foram apreendidas três armas de fogo, sendo duas espingardas cartucheiras e um revólver. A plantação foi destruída pelos policiais e as plantas apreendidas.

Leia mais:  Novas placas de veículos serão obrigatórias a partir de 31 de janeiro

O morador do sítio chegou a alegar que o plantio era para uso próprio, o que obviamente não convenceu os policias em razão do volume considerável de droga que havia na propriedade. Segundo o delegado que coordenou a ação policial, Adil Pinheiro, não está descartada a hipótese de haver mais plantações de maconha na localidade. “Pode haver até uma plantação maior e que esta droga esteja sendo manipulada par venda”, disse o delegado, que também não descarta o envolvimento de um número maior de pessoas, tanto na produção como no comércio do entorpecente.

Roubo de Defensivos

Outro caso grave envolvendo o Assentamento Antônio Conselheiro ocorreu no final do mês de janeiro. Neste episódio, a Polícia Militar realizou a prisão de um bando de nada menos que 14 assaltantes que vinham praticando roubos à mão armada em fazendas da região, com violência física e humilhação das vítimas.

Caminhonete roubada estava carregada com defensivos, escondida numa fazenda do assentamento.

A ação policial ocorreu na Agrovila 20 do assentamento e, após trabalho investigativo, a PM deteve as 14 pessoas, que tinham em seu poder 17 armas de fogo. Na ação, os policiais encontraram, também, uma caminhonete GM D-20 carregada com defensivos agrícolas. O veículo havia sido roubado pelos integrantes da quadrilha para transportar os produtos, considerados de alto valor comercial e, por esta razão, atrativos aos criminosos.

Leia mais:  Placas com padrão do Mercosul entram em vigor em todo o país

Os materiais apreendidos/recuperados incluíram, ainda, rádios comunicadores, colete balístico e outros objetos subtraídos das fazendas assaltadas. Também foram encontrados entorpecentes em poder dos conduzidos.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana