conecte-se conosco

Saúde Pública

Coronavírus: Novo balanço aponta para 2.201 contaminações e 46 óbitos no Brasil, mas casos podem passar dos 15 mil

Publicado

O número de mortes decorrentes do novo coronavírus (covid-19) chegou a 46, conforme atualização do Ministério da Saúde publicada hoje (24). Até ontem (23), o número de pessoas que vieram a óbito estava em 34. No domingo (22), era de 25, um aumento de quase 20 casos em apenas dois dias.

Os números foram apresentados na tarde desta terça-feira (24) em coletiva coordenada pelo secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis. O total de casos confirmados saiu de 1.891 ontem para 2.201 hoje, um acréscimo proporcional de 16% e de 310 em números absolutos.

O resultado de hoje marcou um aumento de 42% nos casos em relação a domingo, quando foram registradas 1.546 pessoas infectadas. Os casos de contaminação, porém, podem chegar passar dos 15 mil (ver abaixo em “Casos Omissos”).

As mortes continuam restritas a São Paulo, com 40 óbitos, e Rio de Janeiro, com 6 falecimentos. A taxa de letalidade saiu de 1,8% ontem (23) para 2,1% hoje.

Como local de maior circulação do vírus no país, São Paulo também lidera o número de pessoas infectadas, com 810 casos confirmados. Em seguida vêm Rio de Janeiro (305), Ceará (182), Distrito Federal (160), Minas Gerais (130) e Santa Catarina (107).

Leia mais:  Ministério da Saúde não divulga casos de cura do COVID-19; Tamanho da pandemia é incógnita

Também registram casos confirmados Rio Grande do Sul (98), Bahia (76), Paraná (65), Amazonas (47), Pernambuco (42), Espírito Santo (33), Goiás (27), Mato Grosso do Sul (23), Acre (17), Sergipe (15), Rio Grande do Norte (13), Maranhão (oito), Alagoas, Tocantins e Mato Grosso (sete), Piauí (seis), Pará (cinco), Rondônia e Paraíba (três), Roraima (dois) e Amapá (um).

Casos omissos

O Brasil pode ter bem mais que os 2.201 casos de contágio pelo COVD-19. Foi o que confirmou na tarde desta terça-feira (24) o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, em entrevista coletiva concedida à imprensa nacional.

Gabbardo confirmou que apenas 14% dos casos de contaminação são detectados, restando 86% dos contágios sem o devido registro. Esta seria uma média mundial, segundo Gabbardo. Isso significa, portanto, que somente o Brasil teria algo entre 15 mil e 16 mil casos de contaminação pelo coronavírus, ao invés de apenas 2.201. Com estes números, o índice de casos de contágio seria de 7,44 por cada grupo de 100 mil pessoas.

Leia mais:  ATUALIZADO: Sem casos confirmados de coronavírus, município cria comitê e anuncia medidas preventivas e de monitoramento

Considerando o percentual de 86%, os casos no mundo inteiro saltariam dos atuais 350 mil para mais de 2,5 milhões, elevando para além de 32 o índice de contágio por cada grupo de 100 mil pessoas.

Segundo uma pesquisa do jornal Science e apoiada pelo Instituto Nacional de Saúde dos EUA, os casos não detectados e não informados de coronavírus são os responsáveis pela maior parte das transmissões da doença.

Seis entre sete casos (86%) não foram reportados na China antes das restrições de viagens impostas na província de Hubei, epicentro da doença. Os pesquisadores seguiram os doentes.

O isolamento social é indicado pela Organização Mundial da Saúde como uma forma de conter a transmissão e o aumento do número de casos.

publicidade

Saúde Pública

Com 13,7 mil casos e 667 mortes, Brasil é o 14º país mais afetado pela COVID-19; MT registra 78 infectados

Publicado

O Ministério da Saúde contabilizou, nesta terça-feira (07), 667 mortes causadas pelo novo coronavírus. Os casos confirmados de Covid-19 em todo o país chegam a 13.717. Nas últimas 24 horas, foram notificados 1.661 novos casos (13,78% a mais), incluindo 114 mortes (20,61%) pela doença. Mais uma vez, o ministério não informou o número de pacientes curados.

(*) Ao final do texto, veja quadro completo com os números por estado

Há pessoas infectadas em todos os estados brasileiros. Só Tocantins não registrou nenhuma morte por Covid-19. São Paulo e Rio de Janeiro continuam com os maiores números de óbitos e casos confirmados. A taxa de letalidade da Covid-19 no Brasil é de 4,9%, abaixo da média mundial: 5,67%.

Em Mato Grosso, dados oficias revelam dois novos casos confirmados de COVID-19. O estado, que ontem tinha 76 casos, passa a ter 78, ainda com um único óbito.

Em Tangará da Serra, o quadro de infectados segue inalterado, com quatro casos confirmados. Entre os 76 casos já notificados, sete foram descartados, restando, portanto, 65 casos suspeitos. O município não possui pacientes internados com a COVID-19.

Leia mais:  COVID-19: Com quadro inalterado em Mato Grosso, boletim desta sexta-feira aponta 3.417 casos e 92 óbitos

Quadro global

Com os novos números do coronavírus revelados no boletim do Ministério da Saúde desta terça-feira, o Brasil se configura no 14º país com mais casos de infecção pela COVID-19. Em número de mortes, o Brasil figura em 12º lugar. (Veja foto no cabeçalho da matéria)

A taxa de letalidade entre os infectados brasileiros – 4,9% – é a 8ª entre todos os países, enquanto a taxa de mortalidade por cada grupo de 100 mil habitantes – 0,3 – é a 16ª.

Os Estados Unidos é o país com maior número de casos no mundo (367,6 mil e 10,9 mil mortos), com taxa de letalidade de 3%. Em seguida, vem a Espanha, com 140,5 mil casos e 13,7 mil óbitos, numa taxa de letalidade de 9,8%.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana